“Se Jesus bebeu, posso beber!” – Será?

Nossa carne milita contra o Espírito. Oro para que quem leia crucifique sua carne, se esvaziando de si mesmo, e que toda cegueira espiritual seja curada, a fim de que a palavra do Senhor seja revelada e ilumine o que está oculto sobre este assunto.

Provérbios 31:6.7 – “Dai bebida forte ao que está prestes a perecer, e o vinho aos amargurados de espírito. Que beba, e esqueça da sua pobreza, e da sua miséria não se lembre mais.”

“A verdade liberta, a mentira te aprisiona”

Durante anos que passei “convencido” ao invés de convertido, muito utilizei de uma das principais “muletas bíblicas” para justificar o meu pecado. Afinal de contas, “se Jesus bebeu, por que não eu?”.

Nunca me preocupei muito com este assunto, mesmo sabendo dentro de mim que estava errado. Hoje, percebo que após minha real conversão o Espírito Santo me fez enxergar o que eu não via, e deixei a bebida de lado (sem necessidade de um estudo mais aprofundado). Muitos irmãos em Cristo no mundo também não fazem uso de bebida alcoólica, e creio que o próprio Espírito Santo dá a direção e discernimento, mesmo sem nenhuma grande explicação teológica. Isto ocorre também em casos, como por exemplo: ouvir música secular, vestimentas, namoro… Creio que somos protegidos pelo Senhor de diversas maneiras, pois não temos idéia clara do quanto nossas atitudes aqui têm impacto no mundo espiritual. Que este fato não sirva de “muleta” para não buscarmos conhecimento.

Oséias 4:6 –  “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento

Lembro da nossa responsabilidade como crentes em Cristo de nos posicionarmos quando confrontados com a Palavra. É necessário uma resposta, uma mudança de atitude, oração.

A questão sobre bebida alcoólica em algumas igrejas tem gerado polêmica, principalmente nestes dias. O relativismo tem levado a igreja a se omitir em relação a muitos assuntos. Ninguém sabe o que é certo ou errado, o que agrada a Deus ou não. Aristóteles e Platão fizeram a “lição de casa”. Este problema é potencializado com a falta de liberdade que é dada ao Espírito Santo de atuar no corpo. Em 1 Tessalonicenses 5:19 nos é dado um alerta: Não extingais o Espírito. Os dons existem para edificação do corpo e somos incentivados a buscá-los (I Cor.14:12). Pensando da maneira mais lógica e racional, é fácil chegarmos a conclusão de que sem dons teremos uma igreja sem edificação, logo sem resistência, fazendo com que o inimigo das nossas almas não fuja de nós: Tiago 4:7 – Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.

André Aneas


Seguem trechos do estudo do Pr. Bruce Lackey:

O contexto irá sempre mostrar quando “vinho” se refere a bebida alcoólica.
Em Prov. 20:1, nos é alertado que: “O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio.” O vinho alcoólico é enganador, mas como? Na exata maneira em que as pessoas estão divulgando hoje, ao dizer que “um pouquinho só não faz mal…” Todo mundo admite que beber muito faz mal, mas isso é o óbvio! O engano está quando uma isca é jogada. E a isca é dizer: “só um pouquinho…” Quando um traficante vai aliciar um adolescente ele também diz: “só um pouquinho…” Isca! Até mesmo as empresas fabricantes de bebidas nos dizem para não dirigir e beber, mas eles insistem que “só um pouquinho não faz mal…” Todavia, isso é exatamente o que é enganoso.

As Escrituras alertam para o perigo de se beber vinho alcoolizado.
A Bíblia é consistente com isso no Velho e no Novo Testamentos. Prov. 23:32 diz: “No fim picará como a cobra, e como o basilisco morderá.” Dor e envenenamento. Por causa da diminuição da barreira moral, o verso 33 mostra que o álcool irá causar que um homem olhe com cobiça para as mulheres estranhas (toda aquela que não seja a esposa) e fale coisas perversas, ou coisas que ele não diria se estivesse sóbrio. O verso 34 prevê aquelas coisas que irão causar a morte precoce daquele que bebe álcool como: afogamentos, ou solidão, ou tonturas. É como a situação de alguém deitado em cima do topo de um mastro. No verso 35, se alerta sobre a anestesia: “espancaram-me e não me doeu”; e sobre o vício evidenciado pela dependência: “quando despertarei? aí então beberei outra vez.”

Prov. 31:4-5 ensina: “Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho; nem dos príncipes o desejar bebida forte; para que bebendo, se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos.” O perigo é óbvio.

Era necessário para Cristo obedecer estes versos também, pois Ele é o Príncipe da Paz (Isa. 9:6), e Rei dos reis (Apoc. 19:16). Em Mat. 27:11 Ele admitiu ser o Rei dos Judeus. Ele montou num jumentinho para cumprir Zac. 9:9, que profetizou que o rei de Israel entraria na cidade daquela maneira. Sem dúvida, desde que Ele era Rei, como tal Ele jamais poderia ter bebido vinho alcoólico, pois teria que ter obedecido Pv. 31:4-5.

Prov. 31:6.7 nos dá o único legítimo uso do vinho alcoólico em toda a Bíblia: “Dai bebida forte ao que está prestes a perecer, e o vinho aos amargurados de espírito. Que beba e esqueça da sua pobreza, e da sua miséria não se lembre mais.” Isto seria um ato de misericórdia como um anestésico para aliviar moribundos em intensa dor.

– Para ler na íntegra o estudo acesse: http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ComerBeber/FezJesusVinhoAlcoolico-BLackey.htm

– Abaixo está disponível também um ‘pdf’ com outros estudos que irão trazer mais clareza sobre o assunto.

Estudo – Vinho

Anúncios

“Comunismo Gospel”

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI161499-15228,00-A+NOVA+REFORMA+PROTESTANTE+TRECHO.html

Existem sim muitos falsos mestres, e se não fosse assim Cristo teria mentido. Porém não se pode generalizar a partir do que é divulgado na mídia ou falar de algo que nunca se viveu de fato. A bíblia nos diz que muitos líderes ensinam o que é correto (motivo de muita atenção e discernimento), mas como hipócritas que são não fazem aquilo que pregam.

MT 23:3

Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem.

É possível que por frustrações na própria vida de discípulo de Cristo (carregando a cruz) algumas pessoas acabem por adotar papeis, agindo como eu classificaria “Comunistas Gospels”. Pessoas que querem ir contra algo, pois sentem esta necessidade (uma pseudo rebelião talvez). Crítica ao dízimo, crítica a questões sobre liderança, sobre o prédio em que pessoas se reúnem, sobre os dons do Espírito (ênfase para línguas), sobre o barulho dos crentes… Por traz de uma aparente boa ação (e realmente pode ser uma boa ação para igreja) em revolucionar o mundo “a lá Che”, pode existir uma alma doente, frustrada por não viver exatamente aquilo que está escrito na bíblia. É óbvio que existem hipócritas em nosso meio, mas existem verdadeiros homens e mulheres do Senhor que não merecem serem alvos de críticas, principalmente partindo de pessoas que professam a mesma fé. Digo muito mais a respeito de ovelhas desconhecidas neste mundo material do que à lideranças.

Sou radicalmente contra a teoria da prosperidade. Barganhar com Deus não é bíblico. Mas a bíblia possui princípios a respeito da prosperidade que não podem ser negados. Simples assim. Se pessoas ensinam os princípios corretos e outros são abençoados (obviamente ofertando e dizimando com alegria no coração) glória a Deus! Agora, se “mestres da lei” do nosso tempo roubam este dinheiro, problema deles com Deus, pois a vingança pertence ao Senhor e a justiça Dele é perfeita.

Longe de mim criticar o irmão Irani Rosique. A partir somente do que li creio que Deus tem usado a vida do irmão e glória a Deus pelas muitas maneiras do Espírito Santo agir.  O que digo é a respeito destas “novas tendências” no mundo “alternativo gospel”, ou “comunista gospel”.

MT 16:17-18

E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.

Deus é bom!

Creio que não há palavras para expressar a alegria de sentir a presença de Deus! O poder do Espírito Santo em nossa vida! A alegria no Espírito! A paz que de fato transcende todo entendimento!
Que nos faz querer dividir este amor que é tão grande que não cabe em nós mesmos…

Não sei quem você é… Mas tenha certeza que o Rei Jesus ama você de maneira única e quer que você sinta esta paz.

Não importa se em meio a lutas, tribulações, tentações, a todo o barulho que o mundo faz para calar a boca de Deus… Ele detém todo poder, toda honra e toda glória. JAMAIS se separa de seus filhos, chamados para serem santos e justificados!

Deus é bom!

“Papai, obrigado por esta oportunidade, obrigado pela tua presença que não se separa de mim, obrigado pelo Senhor existir e dar sentido a minha vida. Eu amo o Senhor!”

André Aneas

O Evangelho da Morte, o Verdadeiro.

Jesus reunido com muitos de seus discípulos…

Jo 6:53

Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.

Jo 6:60-67

Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir?

Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isto escandaliza-vos?

Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava?

O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida.

Mas há alguns de vós que não crêem. Porque bem sabia Jesus, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar.

E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido.

Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele.

Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos?

Vocês conseguem imaginar esta situação? Jesus com muitos discípulos e muitos dando um passo para trás… Restando apenas os doze?

Jesus poderia ficar abatido diante daquela situação…

Se cobrado por não ter pregado da maneira correta, ou de um jeito que mais “tocasse ao coração” de todos.

Tentado ser mais ‘light’.

Ou mais… Podia ter feito algo para chamá-los de volta…

Feito um mega evento evangelístico…

Ou até um evento mais simples.

Chamado uma grande banda de rock gospel, quem sabe?

Usados vários métodos psicológicos ou grandes teorias filosóficas.

Não fez nada disso.

Olhou para os doze restantes e perguntou: “Vocês também não querem ir?”.

Irmãos e irmãs… Olhando para esta cena passo a conhecer melhor nosso Senhor.

Temos muito que aprender com nosso Mestre!

Não vamos nos abater se restarem apenas doze para ouvir a palavra da verdade. Se restarem apenas 7, ou 4 ou apenas 1. O evangelho não pode ser trocado, camuflado, fraudado, maquiado. Da mesma maneira como o Reino de Deus é perfeito, assim também é sua palavra, doa a quem doer. Ela é o que é, revelada na pessoa do Senhor Jesus de Nazaré. Para haver vida é necessária a morte. Para haver vida em nós, Cristo se entregou por nós.

O exemplo da morte do nosso Senhor deve ser seguido. Devemos a cada dia mortificar a nossa carne, para a cada dia se manifestar em nós aquilo que é do Espírito. Morrer para nossa vontade, para o pecado, para qualquer manjar que o mundo nos ofereça, nosso egoísmo, para nós mesmos.

Morrer é algo honroso, pois produz vida. E somente depois disso poderemos ver os verdadeiros frutos, a começar, o de arrependimento genuíno.

“pra que outros possam viver, vale a pena morrer” – Min. Livre Para Adorar

Fiquem na paz e na graça do Senhor!

Que o Espírito Santo nos derrame a unção e o poder para vivermos plenamente nosso chamado e transparecer Cristo em nossas vidas!

André Aneas

Banalização

É a triste realidade… Acredito (infelizmente acredito mesmo), que daqui alguns anos dizer algo contra o homossexualismo (não o homossexual) em algumas igrejas evangélicas, você poderá ser tachado de legalista. Perceba os anos… Tantas coisas têm se tornados banais e comuns no meio do povo de Deus. O jeito do mundo tem invadido a igreja progressivamente. Caso você não aderir, muito provavelmente se tornará vítima de acusações de irmãos que “negociaram” princípios e valores com o mundo e muitas vezes em nome da suposta ‘graça’ (que não tem nada a ver com a verdadeira graça) e de ‘muletas bíblicas’ como, por exemplo: “Deus se interessa somente pelo coração…”.

Não negocie!

Ame.

Não ceda!

Vigie.

Não durma!

Ore.

Que a verdadeira graça e a misericórdia do Senhor transborde na vida de vocês e que o poder do Espírito Santo seja conosco em nome de Jesus!

André Aneas