O Reino de Deus é como um tesouro…



O Reino dos céus é como um tesouro escondido num campo. Certo homem, tendo-o encontrado, escondeu-o de novo e, então, cheio de alegria, foi, vendeu tudo o que tinha e comprou aquele campoMateus 13:44

“O Reino de Deus chegou” é o centro da pregação de Jesus de Nazaré. O principal propósito de Cristo em sua pregação era anunciar o Reino dos céus e dizer a todos que se arrependessem devido a este acontecimento.

Hoje em dia não estamos acostumados a viver em uma monarquia, que pressupõe a existência de um reino. Basicamente, um reino é composto por princípios, regras e leis que partem da autoridade suprema do reino, o rei. E mesmo que nós não vivamos em um reino propriamente dito, fato é que baseamos (conscientes ou não) nossas vidas em princípios, regras e leis de algum “reino”. E se não estivermos aderentes ao padrão do reino em que estamos inseridos, consequentemente, não estaremos aptos a sermos cidadãos do reino, correndo o risco de sermos colocados a margem da sociedade deste reino (marginalizados).

O reino mais predominante nos dias de hoje possui alguns princípios, regras e leis. O padrão deste reino é muito simples de ser detectado, pois está em total contraste com o Reino de Deus anunciado por Jesus. Vou intitular este reino como “Reino dos homens”.

Principais diferenças:

Reino dos homens”:

  • Cada um por si
  • “O mundo é dos espertos”
  • Faça o que der na “telha”
  • Não há esperança ao descontentes ou oprimidos do reino
  • Não há saída para quem não quer aderir aos valores do reino

Reino de Deus

  • Todos os habitantes deste Reino vivem em comunhão
  • Os cidadãos deste Reino não buscam “contar vantagem”
  • Os valores do Reino ao cidadãos são feitos pelo próprio Rei e todos sabem que estes valores são os melhores!
  • Este Reino é a esperança para os habitantes do “reino dos homens” e a esperança que foi alcançada para os que já fazem parte do povo
  • Este Reino é a “saída” para os que desejam valores diferentes dos encontrados no “reino dos homens”

Jesus nos diz que o Reino de Deus é semelhante a um tesouro perdido, que encontrado por um homem, o faz ALEGRE a ponto de vender TUDO o que possui para comprar o terreno onde o tesouro está localizado.

O Reino de Deus é algo muito valioso. Valioso ao ponto de quando encontrado tornar todas as demais coisas em posse do “encontrador” menos importantes do que o Reino. E menos importantes ao ponto de tudo se tornar insignificantes perto deste achado. O Reino de Deus é um tesouro, algo de muito valor, que faz o coração da pessoa que o encontra transbordar de alegria, deixando tudo de lado por este Reino.

Quando Jesus diz que o homem vende tudo, podemos entender que ele está falando de arrependimento. Quando o homem percebe o valor que este Reino tem, é natural, se o desejo do homem é se tornar “habitante” do Reino, que ele se arrependa de ter vivido nos padrões do reino dos homens, se convertendo ao padrão do Reino de Deus. Ou seja, mudando o seu andar para direção contrária, seguindo a partir de agora o Rei do Reino de Deus.

Agora, por que de tanta alegria em encontrar o Reino de Deus? Por causa do Rei que governa o Reino. O Rei que governa o Reino é bom, se preocupa com seu povo, os ama com um amor verdadeiro, é completamente justo, nunca errou, sabe exatamente aquilo que cada um necessita, é perdoador, misericordioso, gracioso e está acima dos “reis” que governam o reino dos homens. Além disso, Ele adota TODOS os habitantes do Reino como filhos! É um tesouro ou não é?

Não sei quais são os reinos, ou subúrbios do “reino dos homens” que você tem habitado. Talvez você esteja se dando muito bem neste reino, tirando vantagens ilícitas, passando para traz muita gente, ou sendo egoísta ao ponto de olhar somente para os seus interesses. Talvez você seja um desamparado. Alguém que não possui esperança, que não tem expectativa, que foi injustiçado. Ou ainda você está marginalizado, sem valores morais definidos e em prática, sem amor de ninguém, sem atenção.

Saiba de algo! O Reino de Deus chegou! Este Reino foi estabelecido aqui na terra quando Jesus morreu na cruz pelos habitantes do “reino dos homens”. O preço pago na cruz (morte de Cristo) é respectivo a escolha dos homens em fazer outro reino, com princípios, regras e lei contrários aos padrões de Deus.

Por causa da morte de Cristo, hoje nós temos acesso ao Reino de Deus. Mas, é pré-requisito o arrependimento, a conversão. Para se fazer parte do Reino de Deus, precisamos recebê-lo como um tesouro, deixando tudo que regia nossa vida e que está em contraste com os padrões do Rei. Mudar atitudes. Com o passar do tempo percebemos que há alegria, satisfação e sentido de vida verdadeiro e pleno no Reino de Deus.

O Reino de Deus chagou!

Deus abençoe sua vida, em nome do Rei do Reis e Senhor dos Senhores, Jesus!

André Aneas

Conclusão [Ser Crente Está na Moda?]

Quando lemos a Bíblia entendemos que nela está contida a revelação do cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Que Deus providenciou uma saída para qualquer pecador que se arrependa. Jesus morreu na cruz, pois nada do que o ser humano fizesse poderia nos livrar da condenação, pois a raça humana se rebelou contra Deus. A condenação é justa, não interferindo em nada a bondade e amor do Senhor. Mas quando cremos e recebemos a graça vinda de Cristo crucificado, estamos nos alimentando da carne e bebendo do sangue do salvador! Quando temos esta experiência com o Senhor nossa vida muda!

Está na hora de vivermos um cristianismo mais “primitivo”. A hora já chegou em que as perseguições vão aumentar e que os Filhos de Deus deverão estar preparados para, se necessário, entregar sua vida por amor de Cristo. Para viver um cristianismo radical, pois assim é a Lei de Cristo, “se abster de toda e qualquer imoralidade” – nas palavras do Pr. Shedd –, não é preciso seguir nenhuma moda, mas seguir o Mestre.

“Para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna” – Ap. Pedro

Pedro responde a pergunta do Senhor (v. 68) da seguinte maneira: “Para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus”.

Pedro não seguiu a maioria dos discípulos, mas preferiu permanecer firme com Cristo. Pedro não teve sua convicção abalada pela maioria naquele momento de abandono em massa. E assim devemos ser. Devemos manter nossos olhos fixos em Cristo, pois Nele temos salvação e o conhecimento do Pai é dado através do Filho.

Não podemos como igreja nos preocupar com o que dizem de nós, inclusive dentro da igreja. Somos crentes no Senhor! Somos chamados para adorar o Pai em espírito e em verdade! Chamados para uma vida santa, separada do mundo. Chamados para fazer diferença e não moda. Pois nossa diferença está na nossa fé no Deus de Abraão, Isaque e Jacó, Deus que enviou Seu Filho amado para morrer no nosso lugar.

Mas fiquem atentos! Reparem que Judas também não seguiu a “moda”, abandonando Jesus. Sabemos que ele O trairia. No nosso meio existe joio e trigo. No nosso meio existem aqueles que se disfarçam muito bem aos olhos humanos. Mas aos olhos do Senhor nada escapa.

Concluo da seguinte maneira:

Viver como crente em Cristo implica em ser Crente em Cristo. SER para valer, com a completa realidade dos ensinos do Senhor manifestados em nosso dia a dia. Neste viver não há espaço para ser um “crente na moda”. Só há espaço para o Espírito Santo nos moldar semelhantemente ao Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Deus abençoe ricamente sua vida e que você possa permanecer inabalável na rocha que é o nosso Senhor!

André Aneas

[confira os outros posts desta série sobre o tema: “Ser Crente Está na Moda?”]

1/6 – Modas e Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

2/6 – O Que Está na Moda? [Ser Crente Está na Moda?]

3/6 – Reação de Jesus às Modas/Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

4/6 – Ser Crente Está Fora de Moda! [Ser Crente Está na Moda?]