Desafio 2: Paixão, Convicção e Inspiração [“Independência” é Morte]

Sendo nós cristãos, fazemos parte da igreja do nosso Senhor e temos uma missão: ser sal. Ou seja, fazer diferença nesta terra. Agora eu te pergunto: se não formos cristãos apaixonado, convictos e, consequentemente, inspiradores, de que maneira faremos diferença aqui na terra? Talvez você possa achar que possui estas características. Mas creio eu que devemos nos examinar, como as Escrituras nos orientam.

  • Tenho paixão pelas coisas do Reino de Deus? Por Jesus? Pela igreja?
  • Estou convicto de que Ele é a verdade?
  • Sou inspirado e as pessoas ao meu redor são inspiradas pela minha paixão e minha convicção?

Paixão

Deve haver em nós sentimento, emoção, paixão por Jesus! Quando nós acordamos, nosso primeiro pensamento precisar ser Ele, quando nos deitamos, nosso último pensamento deve ser Ele. Quando estamos em nossas reuniões nas comunidade de fé devemos ter espaço para vibrar de alegria por aquele que nos salvou. Precisamos ser mais apaixonados, mais vibrantes por Ele.

É necessário nos entregar totalmente ao Espírito Santo. Precisamos voltarmos a enfatizar a vida no Espírito, o ser cheio Dele, o se alegrar Nele. Tenho certeza que uma vez que tenhamos mais experiências com o Espírito Santo que habita em nós, mais paixão pelo Senhor teremos. A adoração em nosso meio será diferente, nossas orações serão mais fervorosas, nossa pregação terá mais intrepidez e nossas atitudes refletirão as atitudes do Filho.

Convicção

Totalmente dependente da paixão é a convicção. Afinal, se tivermos uma convicção (intelectualidade, conhecimento, …) sem paixão, seremos bons teóricos, mas mortos pela letra e sem vida. Agora, a importância da convicção se dará nos momentos de adversidade, nos momentos de luta, nos momentos de testes proporcionados para nosso crescimento e maturidade.

Sem sombra de dúvida, existirão dias em que vamos ter de agir com base na nossa convicção e não em nosso sentir. É neste momento que vamos ter de ser disciplinados para cumprir princípios da Palavra de Deus. Isto pode ser refletido em ter comunhão com o Corpo de Cristo, em adorar a Deus em meio as dificuldade e em não cessar nossas orações. A igreja precisa estar pronta para cumprir seu papel por mais que as circunstância digam que é impossível.

Muitas vezes, o ir em “mais” um culto pode se tornar um momento de profundo quebrantamento, “mais” um período de oração, poderá se tornar o momento mais próximo de Deus, “mais” um momento de adorar ao Senhor, poderá ser o dia em que os céus se abrirão para contemplarmos a glória de Deus. “Mais” um dia anunciando as boas novas, pode ser o dia em que um pecador será salvo. Mas tudo isto só acontecerá se tivermos plena convicção de quem Ele é e formos disciplinados.

Inspiração – Vida em comunidade

Uma realidade que reflete o resultado de paixão e convicção, a inspiração (testemunho para tão grande nuvem de testemunhas que nos cercam), é a comunidade cristã. Nós devemos ser semelhantes a soldados que lutam por nosso grande general, Jesus. E nós, como soldados da mesma guerra, da mesma causa, engajados, militantes e salvos da morte pelo mesmo Senhor, devemos refletir paixão, convicção e inspiração.

João 15:13 fala de um amor por um amigo, mas um amor voluntário e não um amor exigido. Quem são nossos amigos? Ao olhar para o irmão do seu lado na igreja você vê um amigo? Cristo morreu por amigos, para tornar o servo em filho e senhor em Pai. A exemplo de Cristo, dar a vida por um dos nossos pode implicar em:

  • Feridas tratadas em amor
  • Viver sem falsidade
  • Viver sem omissão
  • Menos orgulho
  • Mais perdão

Abro um parênteses: o que dizer dos líderes selecionado pelo Senhor (Efésios 4:11)? Como precisam ser inspiradores como fruto de sua paixão e convicção! São responsáveis pela edificação dos santos. Tamanha responsabilidade!

Nosso viver em comunidade deve inspirar quem nos observa, quem nos analisa. Se de fato o amor do Senhor está em nós, amaremos uns aos outros, conforme João 13:34-35.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre “Independência” é Morte]

1/9 – Introdução [“Independência” é Morte]

2/9 – Jesus: Grande Líder “Da Causa” [“Independência” é Morte]

3/9 – E Quanto a Nós? [“Independência” é Morte]

4/9 – Características do Mestre: Paixão [“Independência” é Morte]

5/9 – Características do Mestre: Convicção [“Independência” é Morte]

6/9 – Características do Mestre: Inspiração [“Independência” é Morte]

7/9 – Desafio 1: Morrer [“Independência” é Morte]

Acesse o link original desta pregação:

“Independência” é Morte

Ouça o audio:

Faça o download:

“Independência” é Morte – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Anúncios

Um pensamento sobre “Desafio 2: Paixão, Convicção e Inspiração [“Independência” é Morte]

  1. Pingback: Conclusão ["Independência" é Morte] | André Anéas' Blog

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s