Deus Morre por Pecadores!

De fato, no devido tempo, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu pelos ímpios. Dificilmente haverá alguém que morra por um justo, embora pelo homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer. Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores. (Romanos 5:6-8 NVI)

morte de Jesus

É importante perceber o destaque que Paulo dá no fato de Deus demonstrar seu amor por pecadores. Gente que precisa de um Salvador! Demonstraria Deus seu amor por quem Ele – Deus – “pré-programou” a amá-lo? Se sim, o destaque de Paulo para a morte de Deus por pecadores se torna sem sentido, pois que diferença há entre o que ama a Deus (justo) e o que AINDA não o ama? Meramente tempo.

A ênfase de Paulo no verso 7, de que é difícil alguém morrer por um justo, embora pelo homem bom talvez alguém tenha coragem de morrer, deixa claro que o amor de Deus não está ligado a nossa justiça e nossa bondade. Daí o motivo da comparação. A graça de Deus é tão graciosa que não possui vínculo com nossa decisão de amar a Deus, seja no tempo presente ou futuro. Ele amou independente de qualquer coisa, pois isso é graça. Qual a graça de amar quem te ama ou quem você tem certeza que vai amar?

Não digo que Deus não tenha certeza. Mas digo que Ele não nos “pré-configurou”, pois é gracioso.

Fato é, Deus te ama e morreu por você independentemente se você irá reconhece-lo como seu Salvador e Senhor ou não.

Entregue-se a Deus.

Não deixe para amanhã.

Busque a Deus enquanto ainda se pode encontrá-lo!

André Anéas

Conclusão [Por que se entregar a Deus?]

entrega total

Semelhantemente ao amor da mulher pecadora, que compreendeu a graça que vinha da parte de Jesus, assim deve ser o nosso amor por Jesus. Um amor sem resistência, totalmente entregue ao destinatário. Ao contrário do fariseu, orgulhoso, soberbo e justo aos próprios olhos, nossa atitude perante Deus deve ser de humildade, humilhação, adoração e demonstração do mais genuíno amor, pois o amor de Deus por nós, revelado em Cristo Jesus, não poupou NADA.

Uma vez entregues a este Deus maravilhoso e gracioso, deixamos de ser donos de nós mesmos, do nosso tempo, dos nossos bens. Passamos a viver para Ele, Nele e na causa Dele, se entregando aos outros como Ele fez por nós.

Devemos sim nos entregar a Ele, se for nossa decisão ser cristão. Por que? Porque Ele – Deus – nos deu tudo – Jesus Cristo. Qual o significado desta entrega? Significa uma entrega TOTAL, deixando Ele ser nosso dono. Quais implicações? Nosso comprometimento com o próximo, alvo da nossa entrega.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Por que se entregar a Deus?]

1/8 – Introdução [Por que se entregar a Deus?]

2/8 – “Entrega” [Por que se entregar a Deus?]

3/8 – Um convite inesperado? (36) [Por que se entregar a Deus?]

4/8 – À procura de Jesus (37-38) [Por que se entregar a Deus?]

5/8 – Pé Atrás (39) [Por que se entregar a Deus?]

6/8 – Uma Grande Lição de Graça  (40-48) [Por que se entregar a Deus?]

7/8 – Quem é este? (49-50) [Por que se entregar a Deus?]

Acesse o link original desta pregação:

Por que se entregar a Deus?

Ouça o audio:

Faça o download:

Por que se entregar a Deus? – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Quem é este? (49-50) [Por que se entregar a Deus?]

A história termina com a pergunta dos convidados: “quem é este que até perdoa pecados?”. Talvez, a surpresa deles seja pela possibilidade de se ter pecados perdoados sem ter que entrar no sistema religioso judaico da época. Além disso, Jesus afirma no versículo 50 que a fé da mulher a salvou e que ela poderia ir em paz.

Jesus

Por que se entregar?

“Quem é este?” que perdoa, que ao se ter fé Nele existe salvação e que nos leva a um caminho de paz? No relato de Lucas as pessoas ainda não possuíam o entendimento completo de quem Jesus era. Mas hoje nós sabemos plenamente quem Ele é. Acredito que saber quem Jesus é justifica, esclarece e responde a pergunta “por que se entregar a Deus?”. Ele é Filho único de Deus, que amou o mundo de TAL maneira que o deu, entregou, para que TODOS que crerem no Filho não pereçam, mas tenham vida eterna.

Quão profunda é esta verdade. É uma verdade que causa muita alegria a nós. Afinal de contas, temos salvação Nele! Mas também deve nos causar um certo constrangimento. Já parou para pensar que cada vez que oramos em nome de Jesus, oramos no nome daquEle que fora esmagado, humilhado, torturado por nós? A realidade deste fato deve nos causar temor e tremor diante Dele e de Sua majestade. “Por que se entregar a Deus?”. Porque Ele nos ama de uma maneira inexplicável, ao ponto de parecer que Ele nos amou mais que Seu próprio Filho, Jesus.

Qual o significado de se entregar?

A mulher viu em Jesus algo que provocou seu amor por Ele. Nós vimos na cruz do calvário algo que provocou nosso amor por Ele. Se ela se entregou a Ele daquela maneira, mesmo ainda Ele não se entregando por Ela na cruz, quanto mais nós devemos nos entregar àquele que se entregou por nós na cruz!

Esta entrega significa uma doação completa de quem nós somos. John Stott diz em seu livro “Discípulo Radical”, ao comentar Efésios 5:2, da necessidade de “amar com o amor do calvário”. Qual a espécie do seu amor por Deus? Sua vida está entregue a Ele? Ou não?

Quais as implicações da entrega?

Por fim, gostaria de comentar acerca do que Tito 2:14 diz: “Ele se entregou por nós a fim de nos remir de toda a maldade e purificar para si mesmo um povo particularmente seu, dedicado à prática de boas obras”. Jesus se entregou por nós para sermos dedicados as boas obras. Ora, se devemos nos entregar a Deus pelo exemplo de Cristo (Ele se entregou) e de forma completa (com amor do calvário), devemos nos entregar para servir ao próximo (como Cristo fez por amor à humanidade).

Discutindo sobre como fazer com que a Igreja entenda a obrigatoriedade de se entregar ao serviço ao próximo, conclui que é necessária conversão. É na conversão que o Espírito Santo habita em nós. E, se o Espírito Santo, que é o Espírito de Cristo, aquEle que se entregou por nós, habita em nós, somente assim seremos levados a nos entregar ao Pai e ao próximo. Ou seja, não bastam palavras humanas cheias de argumentos teológicos, pois estas palavras podem até ter um efeito e nos levar a uma ação, mas de todo coração, alma, entendimento? Uma entrega total nas mãos de Deus? Não. Um amor genuíno só pode vir através Dele, Cristo Jesus, que nos amou primeiro (1 Jo 4:19).

Se entregar ao próximo é, em última instância, se entregar ao próprio Deus. Por isso, devemos ter uma entrega total e um amor genuíno, que é fruto da vida de Deus em nós (Espírito Santo).

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Por que se entregar a Deus?]

1/8 – Introdução [Por que se entregar a Deus?]

2/8 – “Entrega” [Por que se entregar a Deus?]

3/8 – Um convite inesperado? (36) [Por que se entregar a Deus?]

4/8 – À procura de Jesus (37-38) [Por que se entregar a Deus?]

5/8 – Pé Atrás (39) [Por que se entregar a Deus?]

6/8 – Uma Grande Lição de Graça  (40-48) [Por que se entregar a Deus?]

Acesse o link original desta pregação:

Por que se entregar a Deus?

Ouça o audio:

Faça o download:

Por que se entregar a Deus? – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)