Páscoa – A visão de um gentio

desconhecidoA Morte

Hoje é o dia em que Cristo morre. Em que ele se lança voluntariamente para morte. Eu não o conheço. Tão pouco sei como é seu povo, sua cultura, sua família, sua religião, sua filosofia. Não sei absolutamente nada. Me considero apenas um espectador dos fatos. E este é um fato, no mínimo, intrigante.

Jesus é considerado rei dos judeus, seu povo. Mas, mesmo assim, eles clamaram pela libertação de um tal de Barrabás e pedem que Jesus seja crucificado! E o mais estranho: Jesus não se justifica, não se defende, não exige justiça! Será que ele é louco? Não consigo encontrar uma explicação razoável para tudo isto.

Traído por um de seus discípulos, ele ainda o chama de amigo! É levado por soldados após a traição. É abandonado por todos os seus “amigos”. É levado como criminoso. Aquele que curou os doentes, libertou vidas de diabos e “vestiu a camisa” dos pobres anda por um caminho de morte, dor e sofrimento.

Em meio as “cusparadas”, gozações e insultos dos soldados de Roma, é espetáculo para um povo religioso, que rejeita seu “rei”, e curiosos. Curiosos bárbaros e gregos. Gentios, como eu. Jesus de Nazaré, espetáculo para o mundo. Por que?

Em meio ao próprio sofrimento, aquele que se diz Filho de Deus, pergunta por seu pai. “Por que me desamparaste?”, grita da cruz. A dor não somente da crucificação. Mas a dor do filho abandonado. A dor do filho que possui um pai indiferente. Que dor! Que sofrimento!

Sua missão aparenta ser a morte mesmo. “Está consumado!”, grita novamente pregado na cruz! Consumado por que? Não sei. Sofre, sofre e sofre. Sente dor. E se submete a dor. Se entrega à ela. Agarra a cruz com sua vida. Sofre dor de morte. Guerreia com a morte. Luta com ela. Algo sem lógica, sem explicação.

Ele se vai. A esperança se vai com ele. Ninguém entende, muito menos eu. Terremotos, caos, mortos ganham vida e proclamam em favor de Jesus, dizem alguns!

Sabe quando se sente algo diferente no ar? Todos sabem. Todos podem sentir no ar, na terra. Algo mudou. Mudou a essência, a lógica, a filosofia, o jeito, o senso, o gosto, os sentidos. Mas não entendo. O que se consumou? O que aconteceu? O que ocorreu?

Sepultamento

Ele foi levado. Um homem rico lhe deu um lugar de honra entre os mortos.

Ali permaneceu, vigiado. Soldados, se revezam. Pedra enorme tampava seu túmulo.

Seus amigos? Escondidos. Medrosos.

O traidor? Não conseguiu lidar com o peso de sua consciência traidora. Não se entregou a morte. A morte lhe propôs uma solução. Para ele foi irrecusável.

O Deus deste Jesus é alguém que trabalha em favor daqueles que o amam, diz as sagradas letras do judeus. Estaria Deus trabalhando na morte deste Jesus de Nazaré? Ora, mas Deus não o havia abandonado? Perguntas que permanecem sem respostas.

Ouvi dizer que ele veio para o povo dele, mas eles o rejeitaram.

Ressurreição

No terceiro dia, mulheres conhecidas dele foram até o túmulo. E, misteriosamente, o corpo havia sumido! Nem soldados, nem as mulheres, nem ninguém sabia explicar.

Aparições de homens de branco, anunciam que o morto vive! Que o Jesus não é encontrado entre mortos, mas vivo ele está!

Na descrença dos discípulos, fala-se de uma aparição de Jesus. As marcas da crucificação dizem estar lá. Mas ele está diferente. Ultrapassa paredes!

Após alguns anos do ocorrido, muita movimentação no meio destes judeus, por conta dos seguidores do Jesus Ressuscitado, recebo maiores detalhes, muitas dúvidas são esclarecidas…

O Jesus ressuscitado, rejeitado por seu povo, não pensava só neles quando se abraça na morte na cruz. Não foi somente por judeus que este Jesus ressuscitou. Ouço falar, através de seus seguidores, que Deus deu uma missão para Jesus. Morrer pela humanidade! Morrer no lugar da humanidade.

Sofrer a dor, a punição, o sofrimento, o abandono do Pai, a traição, a humilhação. Tudo de uma vez. Tudo Nele. Toda maldade Nele. Toda maldição Nele! Toda ferida Nele. Toda retribuição pelo mal dos homens em um só homem: Jesus!

Eu não sou judeu. Eu não conheço suas tradições. Eu não sabia quem Jesus era. Ele nunca havia falado comigo. Nunca haviam falado Dele para mim antes. Sou um completo desconhecido. Pelo menos assim eu pensava.

Como poderia um justo morrer por um injusto? Pior ainda, um justo por um injusto desconhecido?

Sou injusto? Sim, sou. Não faço o bem quando posso. O mal, faço sem pensar. Meu coração é inclinado para amaldiçoar! Miserável homem que sou!

Ai vem este Jesus e morre por mim? Que injustiça! Que loucura! Está tudo fora do lugar, nada faz sentido! Este Jesus, que dizem ser Deus, morrer por mim? Morrer já contradiz toda lógica, mas por mim? Sou um desconhecido!

Após anos remoendo os acontecimentos, deixei esta suposta loucura para trás. Me rendi ao poder que há em Jesus!

Pois está escrito: “Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos inteligentes”. Onde está o sábio? Onde está o erudito? Onde está o questionador desta era? Acaso não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação. Os judeus pedem sinais miraculosos, e os gregos procuram sabedoria; nós, porém, pregamos a Cristo crucificado, o qual, de fato, é escândalo para os judeus e loucura para os gentios mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana, e a fraqueza de Deus é mais forte que a força do homem. – 1 Coríntios 1:19-25

Sim. Ele pensou em mim. Eu experimentei Ele.

Sou feliz com Jesus, meu Senhor!

p/ André Anéas

Conclusão [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

Leão da tribo de JudáA nossa marca como cristãos precisa ser o Filho em nós! Jesus, que viveu neste mundo e o venceu! Foi tentado como nós, viu aquilo que nós vimos (egoísmo, injustiça – na própria pele – guerra por poder), mas não se sujeitou a fazer parte do sistema, não foi corrompido! Como Jesus, que não se apegou a nada, pois tinha em mente que o melhor que podia ter era o amor do Pai e realizar Sua vontade, assim devemos ser.

A correta compreensão de que este mundo, com seu sistema e suas “coisas”, passam e que a eternidade nos aguarda deve mexer com o nosso senso de urgência e mudar nossa prioridade. O evangelho muda nossa prioridade! Somos transportados do império das trevas – “este mundo tenebroso” – para o reino do Filho de Deus, Jesus (Colossenses 1:13)! Nosso olhar muda, nossa vida muda. Amamos aquilo que é eterno e não o que é terreno e perece.

Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste. Ele é a cabeça do corpo, que é a igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a supremacia. Pois foi do agrado de Deus que nele habitasse toda a plenitude, e por meio dele reconciliasse consigo todas as coisas, tanto as que estão na terra quanto as que estão no céu, estabelecendo a paz pelo seu sangue derramado na cruz. – Colossenses 1:15-20

Permanecendo Nele, em Cristo, compreendemos o que realmente vale a pena: fazer a vontade de Deus! Nada do que o mundo nos oferece é melhor do que se encontrar em Cristo! Nele temos vitória contra Satanás! Jesus é tudo em nós.

Não podemos negociar com o mundo. Precisamos nos manter firmes. Firmes e sem um “cabresto” para nos guiar. Ao contrário, com inteligência, reflexão e consciência, viver na vontade de Deus, reconhecendo seus princípios e deixar-nos levar pelo Espírito Santo, rejeitando aquilo que o mundo oferece, que é passageiro e desagrada nosso Deus que tanto nos ama.

Onde você tem depositado seu amor? Tem amado o mundo e o que nele há? Lembremos: aquele que ama o mundo e o que nele há não tem em si o amor do Pai.

Que nos levantemos como uma geração forte, com a Palavra de Deus enraizada em nós, que rejeita a mentalidade do sistema do mundo e o que nele há e que em Cristo se posiciona vitoriosa contra o diabo! Uma geração que não é envergonhada se corrompendo no mundo e tão pouco se tornando rebelde e amando o pecado como Satanás. Muito pelo contrário, sendo perdoada, tendo a escrita de dívida apagada (Colossenses 2:14), ama ao Senhor e o teme! Vive neste mundo, mas não é daqui. Sabe que tudo pertence ao Senhor e que Ele se manifestará e fará tudo novo! Uma geração que vence “este mundo tenebroso”!

Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. – Romanos 12:2

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

1/7 – Introdução – Urgência e Prioridade: Eternidade [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

2/7 – Introdução – Quem são vocês jovens? [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

3/7 – O Maligno [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

4/7 – O “Mundo” [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

5/7 – Cobiça [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

6/7 – Mas… [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

Acesse o link original desta pregação:

Vencendo “Este Mundo Tenebroso”

Ouça o audio:

Faça o download:

Vencendo “Este Mundo Tenebroso”

Mas… [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

“O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (17)

contra correnteza

As pessoas amam o mundo e seu sistema. Usam as pessoas para obter aquilo que o mundo oferece. Elas cobiçam e enganam em troca de mais poder, dinheiro, sexo, prazer. Porém, o que não fica claro para todos é que tudo isso vai passar! Deus não está de braços cruzados assistindo o que está acontecendo como alguém despreocupado.

Amados, esta é agora a segunda carta que lhes escrevo. Em ambas quero despertar com estas lembranças a sua mente sincera para que vocês se lembrem das palavras proferidas no passado pelos santos profetas, e do mandamento de nosso Senhor e Salvador que os apóstolos de vocês lhes ensinaram. Antes de tudo saibam que, nos últimos dias, surgirão escarnecedores zombando e seguindo suas próprias paixões. Eles dirão: “O que houve com a promessa da sua vinda? Desde que os antepassados morreram, tudo continua como desde o princípio da criação”. Mas eles deliberadamente se esquecem de que há muito tempo, pela palavra de Deus, existiam céus e terra, esta formada da água e pela água. E pela água o mundo daquele tempo foi submerso e destruído. Pela mesma palavra os céus e a terra que agora existem estão reservados para o fogo, guardados para o dia do juízo e para a destruição dos ímpios. Não se esqueçam disto, amados: para o Senhor um dia é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento. O dia do Senhor, porém, virá como ladrão. Os céus desaparecerão com um grande estrondo, os elementos serão desfeitos pelo calor, e a terra, e tudo o que nela há, será desnudada. Visto que tudo será assim desfeito, que tipo de pessoas é necessário que vocês sejam? Vivam de maneira santa e piedosa, esperando o dia de Deus e apressando a sua vinda. Naquele dia os céus serão desfeitos pelo fogo, e os elementos se derreterão pelo calor. Todavia, de acordo com a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça. Portanto, amados, enquanto esperam estas coisas, empenhem-se para serem encontrados por ele em paz, imaculados e inculpáveis. Tenham em mente que a paciência de nosso Senhor significa salvação, como também o nosso amado irmão Paulo lhes escreveu, com a sabedoria que Deus lhe deu. Ele escreve da mesma forma em todas as suas cartas, falando nelas destes assuntos. Suas cartas contêm algumas coisas difíceis de entender, as quais os ignorantes e instáveis torcem, como também o fazem com as demais Escrituras, para a própria destruição deles. Portanto, amados, sabendo disso, guardem-se para que não sejam levados pelo erro dos que não têm princípios morais, nem percam a sua firmeza e caiam. Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, agora e para sempre! Amém. – 2 Pedro 3:1-18

Talvez, no nosso caminhar cristão, seremos taxados como aqueles “pouco espertos”. Como os que não tem “malícia” quando alguém conta uma piada suja. Quem sabe nossos parentes caçoem do nosso modo de viver. Os amigos, colegas, conhecidos… Muitos podem nos perseguir e recriminar por pensar de maneira clara, absoluta, sobre princípios e valores. Seremos “arcaicos”. “Crentes” que falam de céu, inferno e eternidade.

Mas tem algo que o mundo não sabe e não compreende, que aqueles que vivem em Cristo conhecem: o prazer de se estar vivendo na vontade de Deus! “Aquele que FAZ a vontade de Deus”. Viver na vontade de Deus, temendo ao Senhor, é essencial ao homem!

Agora que já se ouviu tudo, aqui está a conclusão: Tema a Deus e guarde os seus mandamentos, pois isso é o essencial para o homem. Pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mal. – Eclesiastes 12:13-14

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

1/7 – Introdução – Urgência e Prioridade: Eternidade [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

2/7 – Introdução – Quem são vocês jovens? [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

3/7 – O Maligno [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

4/7 – O “Mundo” [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

5/7 – Cobiça [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

Acesse o link original desta pregação:

Vencendo “Este Mundo Tenebroso”

Ouça o audio:

Faça o download:

Vencendo “Este Mundo Tenebroso”

Cobiça [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

“Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo” (16)

cobiça dos olhos

Não devemos amar o que há no mundo, pois o que há no mundo não provem de Deus, mas do mundo. O mundo está contaminado pelo pecado. Abaixo, cito alguns exemplos do que há no mundo e versículos que nos instruem sobre estes temas:

Cobiça da carne: prazer sexual ilícito [fornicação, julgo desigual, adultério], a desvalorização do relacionamento profundo e sério, drogas (álcool)…

Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? – 1 Coríntios 6:19

Cobiça dos olhos: inveja [não se suporta a alegria do outro], desejos ilícitos (é onde o pecado começa)…

“Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz. – Mateus 6:22

Ostentação de bens [soberba da vida]: dinheiro, consumismo, arrogância…

… pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos. – 1 Timóteo 6:10

Cito também uma frase que revela a mentalidade mundana, refletida na maneira como as pessoas pensam no que há no mundo:

“Nós não vivemos a vida, nós a consumimos” – Lourenço S. Rega

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

1/7 – Introdução – Urgência e Prioridade: Eternidade [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

2/7 – Introdução – Quem são vocês jovens? [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

3/7 – O Maligno [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

4/7 – O “Mundo” [Vencendo “Este Mundo Tenebroso”]

Acesse o link original desta pregação:

Vencendo “Este Mundo Tenebroso”

Ouça o audio:

Faça o download:

Vencendo “Este Mundo Tenebroso”