A Contingência da Vida, o Casamento e a Graça de Deus

Graça e paz do Senhor!

Compartilho nesta noite a pregação que realizei em mais um encontro de casais na Igreja Batista Pq. das Nações, em 22/07/2017. Sou grato a Deus pelo Ezequias e pela Kátia, casal que tem me ensinado a servir ao Senhor e que nos convidaram  – Igreja Batista Mundo Novo – para estarmos juntos em Santo André. Uma noite de frio, de sopa e da presença de Deus e de Sua Igreja!

Falei sobre a contingência da vida, o casamento e a graça de Deus. A vida é cruel. Porém, para aqueles que experimentaram a graça de Jesus, a vida sem graça passa a ter manifestações semelhantes a do Senhor. Será que nossa vida e nosso casamento têm manifestado esta graça poderosa de Cristo? Ou será que nossa vida e nosso matrimônio têm sido tão afligidos pela crueldade da realidade que nos é apresentada que nossa vida se tornou sem graça?

Minha oração é para que a graça de Jesus se manifeste poderosamente na vida de todo aquele que ouvir esta mensagem. O Espírito Santo tem poder. Poder de transformar vidas, de nos dar sentido, restaurar relacionamentos e de nos fazer cumprir a vontade do Pai, tudo isto independentemente das circunstâncias que a vida nos apresenta.

A vida com a Graça, tem graça!

nEle,

André Anéas

A Contingência da Vida, o Casamento e a Graça de Deus

Cuidado: Espírito Santo!

cuidado

A graça e a paz do Senhor!

Compartilho uma mensagem sobre o Espírito Santo. Mais especificamente sobre os riscos que o crente corre ao ser cheio do Espírito Santo. Pregada na Igreja Batista em Sumarezinho em 08/02/2015.

Que você se convença pela Palavra de Deus que estes risco são reais! Se você se acostumou com uma vida cristã monótona, rotineira e sem risco algum, somente com a certeza da “passagem” para o céu, que você seja desafiado e encorajado a deixar-se encher pelo Espírito Santo e viver sempre na iminência dos riscos que esta vida cheia possui.

Deus abençoe sua vida!

André Anéas

Cuidado! Espírito Santo!

Contexto [Desqualificados!]

Paulo presoA carta aos filipenses é diferenciada. Em primeiro lugar, porque ela tem uma tonalidade informal por parte de Paulo. Muito diferente de 2 Coríntios, na qual o apóstolo procura defender seu apostolado, em Filipenses Paulo se quer se intitula apóstolo, como seria de praxe em suas epístolas.

Em segundo lugar, porque Paulo fala de si com a liberdade e intimidade de quem fala a um amigo próximo. Sabemos que não temos liberdade de nos confidenciar ou compartilhar algo íntimo sobre nossa história, nosso interior ou alguma experiência à alguém que não confiamos, pois corremos o risco de sermos mal compreendidos, de sermos julgados ou de gerar algum mal estar. Paulo em sua epístola aos filipenses tem esta liberdade e é nesta epístola que ele nos revela alguns aspectos biográficos de sua vida.

Em terceiro lugar, percebemos Paulo emotivo. Ao escrever a carta, Paulo se encontra preso (1:13) e utiliza-se de cartas para se comunicar com as igrejas. Trata-se de sua ferramenta de trabalho. Para alguém como Paulo, com tamanha atuação no reino de Deus, é possível imaginar a saudade que ele sentia dos irmãos, a vontade de estar com eles, ceiar com eles e de ensinar pessoalmente sobre Cristo. É clara a importância para o apóstolo em possuir liberdade para escrever de maneira tão pessoal e com tamanha intimidade aos filipenses. Escrever é algo que não lhe cansa, muito pelo contrário, ele se alegra neste trabalho, inclusive escrevendo um conteúdo já escrito em outra oportunidade (3:1). Sua preocupação é notável ao citar a segurança da igreja (3:1) e é também notório seu carinho ao falar de sua saudade da igreja em Filipos (1:8; 4:1).

Algo que permeia toda carta são as exortações à alegria! Embora preso, Paulo não cessa de exortá-los a se alegrarem no Senhor. Não tenho dúvidas de que a própria experiência de Paulo com Cristo é o que lhe dá toda autoridade para falar de alegria em um momento difícil de sua vida. Ele estava feliz. Independente de sua situação ele se alegrava no Senhor e tinha plena convicção de que se alegrar no Senhor era o melhor caminho.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Desqualificados!]

1/10 – Introdução [Desqualificados!]

Acesse o link original desta pregação:

Desqualificados!

Ouça o audio:

Faça o download:

Desqualificados!

Características do Mestre: Inspiração [“Independência” é Morte]

Jesus era inspirador. Ele tinha algo que era fruto de sua paixão e sua convicção que fazia com que qualquer um enxergasse Nele alguém único. As crianças (os pequeninos, como Ele os chamava) o amavam, sua atenção era dividida com os marginalizados da sociedade e estes, por sua vez, gostavam Dele (a se ver pela samaritana, pelo publicano, pelos pecadores em geral, pela mulher pecadora na casa do fariseu) e também pelos discípulos, principalmente Simão Pedro.

Pedro para mim é um caso a parte. Quando paro para pensar neste pescador eu imagino um homem que deseja de todas as formas ser parecido com seu Mestre. O poder de inspiração que vem de Jesus para Pedro é notório. Mesmo com todas as repreensões, Pedro não desiste de querer se mostrar para Jesus, de querer acertar, de tentar ao menos acertar. Pedro talvez tenha passado noites pensando como seria o dia de amanhã com o Mestre, o que ele aprenderia, qual dúvida tiraria. Mesmo em meio a todas suas deficiências, creio eu que Simão Pedro é um bom exemplo dentre os discípulos que revela que Jesus era inspirador.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre “Independência” é Morte]

1/9 – Introdução [“Independência” é Morte]

2/9 – Jesus: Grande Líder “Da Causa” [“Independência” é Morte]

3/9 – E Quanto a Nós? [“Independência” é Morte]

4/9 – Características do Mestre: Paixão [“Independência” é Morte]

5/9 – Características do Mestre: Convicção [“Independência” é Morte]

Acesse o link original desta pregação:

“Independência” é Morte

Ouça o audio:

Faça o download:

“Independência” é Morte – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Conclusão [Ser Crente Está na Moda?]

Quando lemos a Bíblia entendemos que nela está contida a revelação do cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Que Deus providenciou uma saída para qualquer pecador que se arrependa. Jesus morreu na cruz, pois nada do que o ser humano fizesse poderia nos livrar da condenação, pois a raça humana se rebelou contra Deus. A condenação é justa, não interferindo em nada a bondade e amor do Senhor. Mas quando cremos e recebemos a graça vinda de Cristo crucificado, estamos nos alimentando da carne e bebendo do sangue do salvador! Quando temos esta experiência com o Senhor nossa vida muda!

Está na hora de vivermos um cristianismo mais “primitivo”. A hora já chegou em que as perseguições vão aumentar e que os Filhos de Deus deverão estar preparados para, se necessário, entregar sua vida por amor de Cristo. Para viver um cristianismo radical, pois assim é a Lei de Cristo, “se abster de toda e qualquer imoralidade” – nas palavras do Pr. Shedd –, não é preciso seguir nenhuma moda, mas seguir o Mestre.

“Para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna” – Ap. Pedro

Pedro responde a pergunta do Senhor (v. 68) da seguinte maneira: “Para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus”.

Pedro não seguiu a maioria dos discípulos, mas preferiu permanecer firme com Cristo. Pedro não teve sua convicção abalada pela maioria naquele momento de abandono em massa. E assim devemos ser. Devemos manter nossos olhos fixos em Cristo, pois Nele temos salvação e o conhecimento do Pai é dado através do Filho.

Não podemos como igreja nos preocupar com o que dizem de nós, inclusive dentro da igreja. Somos crentes no Senhor! Somos chamados para adorar o Pai em espírito e em verdade! Chamados para uma vida santa, separada do mundo. Chamados para fazer diferença e não moda. Pois nossa diferença está na nossa fé no Deus de Abraão, Isaque e Jacó, Deus que enviou Seu Filho amado para morrer no nosso lugar.

Mas fiquem atentos! Reparem que Judas também não seguiu a “moda”, abandonando Jesus. Sabemos que ele O trairia. No nosso meio existe joio e trigo. No nosso meio existem aqueles que se disfarçam muito bem aos olhos humanos. Mas aos olhos do Senhor nada escapa.

Concluo da seguinte maneira:

Viver como crente em Cristo implica em ser Crente em Cristo. SER para valer, com a completa realidade dos ensinos do Senhor manifestados em nosso dia a dia. Neste viver não há espaço para ser um “crente na moda”. Só há espaço para o Espírito Santo nos moldar semelhantemente ao Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Deus abençoe ricamente sua vida e que você possa permanecer inabalável na rocha que é o nosso Senhor!

André Aneas

[confira os outros posts desta série sobre o tema: “Ser Crente Está na Moda?”]

1/6 – Modas e Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

2/6 – O Que Está na Moda? [Ser Crente Está na Moda?]

3/6 – Reação de Jesus às Modas/Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

4/6 – Ser Crente Está Fora de Moda! [Ser Crente Está na Moda?]

Quem Queremos Ser? [Ser Crente Está na Moda?]

Quando olho para algum grupo de cristãos reunidos me pergunto: “qual o real propósito desta reunião?”. Porque se nossa motivação for errada, Deus não vai de maneira nenhuma adequar sua Palavra a nossa motivação.

Não devemos inventar moda. Devemos ser discípulos de Cristo na totalidade do Seu ensino. Pois a Palavra de Deus é inspirada e não está condicionada a nenhum modismo ou tendência.

Devemos ser verdadeiros cristãos, que adoram o Pai em espírito e em verdade! Devemos encontrar valor nas coisas mais preciosas que temos por sermos crentes. Devemos ter prazer no Senhor. Devemos amar as disciplinas espirituais e praticá-las. Oração, jejum, adoração. Perdoar! Devemos sempre buscar a santidade, pois o Senhor nos ensina a sermos santos pois Ele é santo. Precisamos crer no poder do Espírito Santo. Precisamos ter uma fé genuína, que tem certeza de que Deus é poderoso para fazer qualquer coisa! Crer na Palavra de Deus em sua totalidade é essencial. Crer que tudo o que aconteceu com os grandes homens de Deus na história pode ser uma realidade na nossa vida.

Devemos ser crentes pra valer. Não mais ou menos. Devemos cair de cabeça e mergulhar nas profundezas de Deus. Devemos amar Sua Palavra e nos deixar ser totalmente conduzidos pelo Seu Espírito Santo. Viver a verdade do Reino de Deus hoje!

Não podemos ser movidos por músicas, eventos, shows, vãs filosofias, modismos e tendências. Mas temos de ser movidos na direção do Filho através do Espírito Santo.

[confira esta série de posts sobre o tema: “Ser Crente Está na Moda?”]

1/6 – Modas e Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

2/6 – O Que Está na Moda? [Ser Crente Está na Moda?]

3/6 – Reação de Jesus às Modas/Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

4/6 – Ser Crente Está Fora de Moda! [Ser Crente Está na Moda?]

André Aneas

Ser Crente Está Fora de Moda! [Ser Crente Está na Moda?]

A verdade é que são poucos os que entrarão no Reino de Deus. A realidade é que viver o evangelho está fora de moda e sempre esteve, porque a moda pensa em mim, no meu eu (minha carne). Porém, o cristão deve morrer para si mesmo e viver para Cristo! Só que morte não entra na moda.

A verdade é que ser crente deve estar fora de moda, pois a pregação do evangelho, que é Cristo crucificado, é loucura (1 Coríntio 1:23)! E poderia a loucura entrar na moda? Poderia alguém que segue as palavras radicais de Jesus estar na moda? Creio que não.

Não sou de maneira nenhuma contra os eventos no meio evangélico, inclusive eu participo de muitos deles e o Senhor age em minha vida nestes lugares. Mas a questão é por que eu estou lá? Sou movido pela moda e tendência? Ou meu coração está completamente ligado ao Senhor ao ponto de estar convicto que Jesus é o meu DONO?

Eu aprendo com esta passagem (João 6:51) que ser crente em Cristo é comer da carne e beber do sangue de Jesus. Se não tivermos esta realidade fixada em nossos corações, podemos estar sendo levados por ventos de doutrinas ou por comportamentos sociais que podem nos tornar hipócritas.

[confira esta série de posts sobre o tema: “Ser Crente Está na Moda?”]

1/6 – Modas e Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

2/6 – O Que Está na Moda? [Ser Crente Está na Moda?]

3/6 – Reação de Jesus às Modas/Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

André Aneas