A vida, o discipulado e as tempestades

Graça e paz!

Ontem preguei sobre “a vida, o discipulado e as tempestades” na amada Igreja Batista em Quitaúna. O discipulado cristão acontece na realidade da vida. A realidade da vida, por sua vez, não é um mar de rosas, imune ao sofrimento e “tempestades”. É preciso coragem para encarar a realidade. É preciso coragem para viver a vida pela fé. É preciso respeitar a vida.

Nessa mensagem você será desafiado(a) a compreender que “Deus usa a vida e a vida usa tudo” (Resgate) para nos forjar como cristãos que tem como o grande segredo de sucesso JESUS. Se tivermos fé nEle, andamos sobre o mar. Caso contrário, aprendemos na vida a pedir socorro ao Mestre que, imediatamente, nos socorre. Além disso, somos desafiado no Evangelho a sermos Jesus para os outros, estendendo a mão ao que clama por socorro…

Que o Espírito Santo fale ao seu coração!

nEle,

André Anéas

Anúncios

A Contingência da Vida, o Casamento e a Graça de Deus

Graça e paz do Senhor!

Compartilho nesta noite a pregação que realizei em mais um encontro de casais na Igreja Batista Pq. das Nações, em 22/07/2017. Sou grato a Deus pelo Ezequias e pela Kátia, casal que tem me ensinado a servir ao Senhor e que nos convidaram  – Igreja Batista Mundo Novo – para estarmos juntos em Santo André. Uma noite de frio, de sopa e da presença de Deus e de Sua Igreja!

Falei sobre a contingência da vida, o casamento e a graça de Deus. A vida é cruel. Porém, para aqueles que experimentaram a graça de Jesus, a vida sem graça passa a ter manifestações semelhantes a do Senhor. Será que nossa vida e nosso casamento têm manifestado esta graça poderosa de Cristo? Ou será que nossa vida e nosso matrimônio têm sido tão afligidos pela crueldade da realidade que nos é apresentada que nossa vida se tornou sem graça?

Minha oração é para que a graça de Jesus se manifeste poderosamente na vida de todo aquele que ouvir esta mensagem. O Espírito Santo tem poder. Poder de transformar vidas, de nos dar sentido, restaurar relacionamentos e de nos fazer cumprir a vontade do Pai, tudo isto independentemente das circunstâncias que a vida nos apresenta.

A vida com a Graça, tem graça!

nEle,

André Anéas

A Contingência da Vida, o Casamento e a Graça de Deus

Cuidado: Espírito Santo!

cuidado

A graça e a paz do Senhor!

Compartilho uma mensagem sobre o Espírito Santo. Mais especificamente sobre os riscos que o crente corre ao ser cheio do Espírito Santo. Pregada na Igreja Batista em Sumarezinho em 08/02/2015.

Que você se convença pela Palavra de Deus que estes risco são reais! Se você se acostumou com uma vida cristã monótona, rotineira e sem risco algum, somente com a certeza da “passagem” para o céu, que você seja desafiado e encorajado a deixar-se encher pelo Espírito Santo e viver sempre na iminência dos riscos que esta vida cheia possui.

Deus abençoe sua vida!

André Anéas

Cuidado! Espírito Santo!

Contexto [Desqualificados!]

Paulo presoA carta aos filipenses é diferenciada. Em primeiro lugar, porque ela tem uma tonalidade informal por parte de Paulo. Muito diferente de 2 Coríntios, na qual o apóstolo procura defender seu apostolado, em Filipenses Paulo se quer se intitula apóstolo, como seria de praxe em suas epístolas.

Em segundo lugar, porque Paulo fala de si com a liberdade e intimidade de quem fala a um amigo próximo. Sabemos que não temos liberdade de nos confidenciar ou compartilhar algo íntimo sobre nossa história, nosso interior ou alguma experiência à alguém que não confiamos, pois corremos o risco de sermos mal compreendidos, de sermos julgados ou de gerar algum mal estar. Paulo em sua epístola aos filipenses tem esta liberdade e é nesta epístola que ele nos revela alguns aspectos biográficos de sua vida.

Em terceiro lugar, percebemos Paulo emotivo. Ao escrever a carta, Paulo se encontra preso (1:13) e utiliza-se de cartas para se comunicar com as igrejas. Trata-se de sua ferramenta de trabalho. Para alguém como Paulo, com tamanha atuação no reino de Deus, é possível imaginar a saudade que ele sentia dos irmãos, a vontade de estar com eles, ceiar com eles e de ensinar pessoalmente sobre Cristo. É clara a importância para o apóstolo em possuir liberdade para escrever de maneira tão pessoal e com tamanha intimidade aos filipenses. Escrever é algo que não lhe cansa, muito pelo contrário, ele se alegra neste trabalho, inclusive escrevendo um conteúdo já escrito em outra oportunidade (3:1). Sua preocupação é notável ao citar a segurança da igreja (3:1) e é também notório seu carinho ao falar de sua saudade da igreja em Filipos (1:8; 4:1).

Algo que permeia toda carta são as exortações à alegria! Embora preso, Paulo não cessa de exortá-los a se alegrarem no Senhor. Não tenho dúvidas de que a própria experiência de Paulo com Cristo é o que lhe dá toda autoridade para falar de alegria em um momento difícil de sua vida. Ele estava feliz. Independente de sua situação ele se alegrava no Senhor e tinha plena convicção de que se alegrar no Senhor era o melhor caminho.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Desqualificados!]

1/10 – Introdução [Desqualificados!]

Acesse o link original desta pregação:

Desqualificados!

Ouça o audio:

Faça o download:

Desqualificados!

Características do Mestre: Inspiração [“Independência” é Morte]

Jesus era inspirador. Ele tinha algo que era fruto de sua paixão e sua convicção que fazia com que qualquer um enxergasse Nele alguém único. As crianças (os pequeninos, como Ele os chamava) o amavam, sua atenção era dividida com os marginalizados da sociedade e estes, por sua vez, gostavam Dele (a se ver pela samaritana, pelo publicano, pelos pecadores em geral, pela mulher pecadora na casa do fariseu) e também pelos discípulos, principalmente Simão Pedro.

Pedro para mim é um caso a parte. Quando paro para pensar neste pescador eu imagino um homem que deseja de todas as formas ser parecido com seu Mestre. O poder de inspiração que vem de Jesus para Pedro é notório. Mesmo com todas as repreensões, Pedro não desiste de querer se mostrar para Jesus, de querer acertar, de tentar ao menos acertar. Pedro talvez tenha passado noites pensando como seria o dia de amanhã com o Mestre, o que ele aprenderia, qual dúvida tiraria. Mesmo em meio a todas suas deficiências, creio eu que Simão Pedro é um bom exemplo dentre os discípulos que revela que Jesus era inspirador.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre “Independência” é Morte]

1/9 – Introdução [“Independência” é Morte]

2/9 – Jesus: Grande Líder “Da Causa” [“Independência” é Morte]

3/9 – E Quanto a Nós? [“Independência” é Morte]

4/9 – Características do Mestre: Paixão [“Independência” é Morte]

5/9 – Características do Mestre: Convicção [“Independência” é Morte]

Acesse o link original desta pregação:

“Independência” é Morte

Ouça o audio:

Faça o download:

“Independência” é Morte – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Conclusão [Ser Crente Está na Moda?]

Quando lemos a Bíblia entendemos que nela está contida a revelação do cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Que Deus providenciou uma saída para qualquer pecador que se arrependa. Jesus morreu na cruz, pois nada do que o ser humano fizesse poderia nos livrar da condenação, pois a raça humana se rebelou contra Deus. A condenação é justa, não interferindo em nada a bondade e amor do Senhor. Mas quando cremos e recebemos a graça vinda de Cristo crucificado, estamos nos alimentando da carne e bebendo do sangue do salvador! Quando temos esta experiência com o Senhor nossa vida muda!

Está na hora de vivermos um cristianismo mais “primitivo”. A hora já chegou em que as perseguições vão aumentar e que os Filhos de Deus deverão estar preparados para, se necessário, entregar sua vida por amor de Cristo. Para viver um cristianismo radical, pois assim é a Lei de Cristo, “se abster de toda e qualquer imoralidade” – nas palavras do Pr. Shedd –, não é preciso seguir nenhuma moda, mas seguir o Mestre.

“Para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna” – Ap. Pedro

Pedro responde a pergunta do Senhor (v. 68) da seguinte maneira: “Para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus”.

Pedro não seguiu a maioria dos discípulos, mas preferiu permanecer firme com Cristo. Pedro não teve sua convicção abalada pela maioria naquele momento de abandono em massa. E assim devemos ser. Devemos manter nossos olhos fixos em Cristo, pois Nele temos salvação e o conhecimento do Pai é dado através do Filho.

Não podemos como igreja nos preocupar com o que dizem de nós, inclusive dentro da igreja. Somos crentes no Senhor! Somos chamados para adorar o Pai em espírito e em verdade! Chamados para uma vida santa, separada do mundo. Chamados para fazer diferença e não moda. Pois nossa diferença está na nossa fé no Deus de Abraão, Isaque e Jacó, Deus que enviou Seu Filho amado para morrer no nosso lugar.

Mas fiquem atentos! Reparem que Judas também não seguiu a “moda”, abandonando Jesus. Sabemos que ele O trairia. No nosso meio existe joio e trigo. No nosso meio existem aqueles que se disfarçam muito bem aos olhos humanos. Mas aos olhos do Senhor nada escapa.

Concluo da seguinte maneira:

Viver como crente em Cristo implica em ser Crente em Cristo. SER para valer, com a completa realidade dos ensinos do Senhor manifestados em nosso dia a dia. Neste viver não há espaço para ser um “crente na moda”. Só há espaço para o Espírito Santo nos moldar semelhantemente ao Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Deus abençoe ricamente sua vida e que você possa permanecer inabalável na rocha que é o nosso Senhor!

André Aneas

[confira os outros posts desta série sobre o tema: “Ser Crente Está na Moda?”]

1/6 – Modas e Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

2/6 – O Que Está na Moda? [Ser Crente Está na Moda?]

3/6 – Reação de Jesus às Modas/Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

4/6 – Ser Crente Está Fora de Moda! [Ser Crente Está na Moda?]

Quem Queremos Ser? [Ser Crente Está na Moda?]

Quando olho para algum grupo de cristãos reunidos me pergunto: “qual o real propósito desta reunião?”. Porque se nossa motivação for errada, Deus não vai de maneira nenhuma adequar sua Palavra a nossa motivação.

Não devemos inventar moda. Devemos ser discípulos de Cristo na totalidade do Seu ensino. Pois a Palavra de Deus é inspirada e não está condicionada a nenhum modismo ou tendência.

Devemos ser verdadeiros cristãos, que adoram o Pai em espírito e em verdade! Devemos encontrar valor nas coisas mais preciosas que temos por sermos crentes. Devemos ter prazer no Senhor. Devemos amar as disciplinas espirituais e praticá-las. Oração, jejum, adoração. Perdoar! Devemos sempre buscar a santidade, pois o Senhor nos ensina a sermos santos pois Ele é santo. Precisamos crer no poder do Espírito Santo. Precisamos ter uma fé genuína, que tem certeza de que Deus é poderoso para fazer qualquer coisa! Crer na Palavra de Deus em sua totalidade é essencial. Crer que tudo o que aconteceu com os grandes homens de Deus na história pode ser uma realidade na nossa vida.

Devemos ser crentes pra valer. Não mais ou menos. Devemos cair de cabeça e mergulhar nas profundezas de Deus. Devemos amar Sua Palavra e nos deixar ser totalmente conduzidos pelo Seu Espírito Santo. Viver a verdade do Reino de Deus hoje!

Não podemos ser movidos por músicas, eventos, shows, vãs filosofias, modismos e tendências. Mas temos de ser movidos na direção do Filho através do Espírito Santo.

[confira esta série de posts sobre o tema: “Ser Crente Está na Moda?”]

1/6 – Modas e Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

2/6 – O Que Está na Moda? [Ser Crente Está na Moda?]

3/6 – Reação de Jesus às Modas/Tendências [Ser Crente Está na Moda?]

4/6 – Ser Crente Está Fora de Moda! [Ser Crente Está na Moda?]

André Aneas