As 7 Cartas do Apocalipse

A PAZ do Senhor a todos!

Mês passado li um livro chamado “Cristo Entronizado“, de Délcio Meireles. O livro nada mais é do que um estudo acerca do livro das Revelações – Apocalipse. Sem dúvida recomendo e muito esta leitura, principalmente pelas explicações das cartas às sete igrejas. E é referente as cartas às sete igrejas que gostaria de compartilhar com vocês, pois o Senhor falou muito ao meu coração sobre esta necessidade.

Para iniciar este estudo, neste primeiro post destacarei três pontos importantes para o entendimento:

–       Saber como interpretar

–       Entender o porquê de 7 igrejas

–       Saber onde nos encontramos nestas cartas (igreja atual)

Quando recebemos uma carta precisamos captar a mensagem que o emissor quer nos dar. Neste caso, se tratando do Senhor como emissor, temos a necessidade de entender e compreender o que está sendo dito. Muito mais do que entender, creio que para quem é um discípulo de Cristo deve ser normal, ou com certeza deveria ser, focar todos os esforços em buscar ouvir a voz daquele que é, que era e que há de vir.

Interpretações

Primeira – Histórico

Através do contexto histórico conseguimos entender o que se passava nas igrejas representadas nas cartas e em que situação as igrejas se encontravam, pois estas igrejas de fato existiram.

Segunda – Espiritual

Através das características das igrejas, tanto positivas quanto negativas, podemos ser ministrados pelo Senhor no que se refere a nossa própria vida. Devemos estar com os ouvidos atentos a voz do Espírito Santo para receber alguma palavra rhema*, independente do conhecimento que julgamos possuir acerca das Escrituras. O Senhor não age de uma mesma maneira. Ele é capaz de falar contigo em uma passagem que você já tenha lido diversas vezes, mas nunca havia feito sentido antes.

Terceiro – Profético

“A abordagem profética apresenta as sete igrejas na ordem em que foram endereçadas, como simbólicas do desenvolvimento progressivo da igreja de Deus em toda sua trajetória na terra“ – página 70 do livro.

“Placas“

 

Cada nome das igrejas tem em seu significado algo muito precioso para o entendimento do que o Senhor quer nos dizer. Cada nome corresponde a característica histórica do estágio designado a cada igreja.

1)   Éfeso = Relaxamento – Fim do Primeiro Século (Perda do Primeiro Amor)

2)   Esmirna = Mirra – De 100 a 313 d.C. (Perseguição de Roma)

3)   Pérgamo = Eis o Casamento – De 313 a 600 (Igreja Oficial – Constantino)

4)   Tiatira = Incenso Contínuo – De 600 a 1517 (Sistema Católico Romano)

5)   Sardes = Reforma – De 1517 a 1827 (Reforma – Martinho Lutero)

6)   Filadélfia = Amor Fraternal – De 1827 a 1847 (Unidade da Igreja)

7)   Laodicéia = Opinião do Povo – De 1847 a ? (Filadélfia Soberba)

Os nomes das igrejas se referem ao nome da cidade que a igreja representa. Na época, não havia “placas“ no corpo e o único motivo que leva a divisão entre as igrejas é a localização geográfica, que deveria ser o único motivo que leva crentes no Senhor a congregar em lugares diferentes.

Se olharmos para nossa realidade, facilmente perceberemos que há algo de errado. O fato é que Deus é misericordioso e Ele nos usa independente do nosso entendimento equivocado. Porém, creio que não devemos abusar da misericórdia do Senhor. Pelo contrário, precisamos nos arrepender como igreja e entender que a igreja é Dele. Devemos sim deixar o Senhor mudar nosso pensamento, nos sondando e no refazendo, como verdadeiros vasos nas mãos do oleiro. Quem sabe um dia, todo crente no Senhor ao ser perguntado de que igreja é responda: “da igreja de Cristo“.

Onde nos encontramos?

Irmãos, o Espírito Santo não teria inspirado João a escrever “quem tem ouvidos para ouvir ouça” e a se referir aos VENCEDORES tantas vezes a toa. Creio que a volta do Senhor está próxima e consequentemente o arrebatamento da igreja. A realidade é que se existem vencedores existem também perdedores, crentes que não irão ouvir o que o Espírito diz a igreja. Lembro, que as cartas foram escritas para a igreja e não para pessoas que necessitam de salvação.

Estejamos preparados a tempo e fora de tempo, para nos encontrarmos dentre os vencedores a que o Senhor se refere! Minha intenção não é massagear o ego de ninguém, mas simplesmente compartilhar aquilo que as Escrituras realmente nos dizem. Se somos igreja, participantes da morte e ressureição do nosso Senhor, nos encontramos aptos a buscar a compreensão do que Ele quer nos dizer.

Nas próximas semanas, saberemos qual das sete igrejas nos representa profeticamente, mas creio que saber qual é esta igreja não é nos encontrar. Nos encontrar é estarmos sempre firmes na rocha que é Cristo e sempre prontos a ouvir e ATENDER ao que o Espírito Santo nos diz!

A cada semana irei postar sobre uma carta. Oro para que o Senhor nos edifique ao longo destas semanas e me de graça para transmitir a mensagem Dele.

Deus nos abençoe poderosamente e que sejamos cheios a cada dia do Espírito de Deus, que é SANTO!

 

André Aneas

 

* Rhema é um vocábulo grego que é usados para definir o termo Palavra, da mesma maneira que logos. Rhema é usado para representar o sentido pessoal que o logos assume para um indivíduo ou grupo em particular por meio de um interlocutor. Uma palavra rhema se torna um palavra pessoal, direcionada.

Publicidade