A Contingência da Vida, o Casamento e a Graça de Deus

Graça e paz do Senhor!

Compartilho nesta noite a pregação que realizei em mais um encontro de casais na Igreja Batista Pq. das Nações, em 22/07/2017. Sou grato a Deus pelo Ezequias e pela Kátia, casal que tem me ensinado a servir ao Senhor e que nos convidaram  – Igreja Batista Mundo Novo – para estarmos juntos em Santo André. Uma noite de frio, de sopa e da presença de Deus e de Sua Igreja!

Falei sobre a contingência da vida, o casamento e a graça de Deus. A vida é cruel. Porém, para aqueles que experimentaram a graça de Jesus, a vida sem graça passa a ter manifestações semelhantes a do Senhor. Será que nossa vida e nosso casamento têm manifestado esta graça poderosa de Cristo? Ou será que nossa vida e nosso matrimônio têm sido tão afligidos pela crueldade da realidade que nos é apresentada que nossa vida se tornou sem graça?

Minha oração é para que a graça de Jesus se manifeste poderosamente na vida de todo aquele que ouvir esta mensagem. O Espírito Santo tem poder. Poder de transformar vidas, de nos dar sentido, restaurar relacionamentos e de nos fazer cumprir a vontade do Pai, tudo isto independentemente das circunstâncias que a vida nos apresenta.

A vida com a Graça, tem graça!

nEle,

André Anéas

A Contingência da Vida, o Casamento e a Graça de Deus

Anúncios

Conclusão [Desqualificados!]

pecador arrependido

Jesus não veio para os sãos, os “amigos do dono da festa”, ele veio para os doentes, aqueles que são barrados na entrada. Ele veio para desqualificados!. Afinal, quem precisa ser salvo se não o que está condenado? Quem precisa de remédio se não aquele que está doente? Quem precisa de Cristo se tem a si mesmo para se gloriar? Quem precisa de um Deus de amor se o amor próprio é suficiente? Quem precisa ser justificado se já possui todas as justificativas em si?

No evangelho do reino de Deus, anunciado por Jesus, não pesa a tradição, a fama ou o status. Muito pelo contrário, em Cristo são aceitos os desqualificados!.

Espero que você seja um verdadeiro adorador de Deus, alguém quebrantado e humilhado na presença de Jesus, que compreendeu que nada se compara com o Senhor! Alguém que não se envaidece com as coisas deste mundo. Alguém que, em um momento de humilhação e injustiça, como as inúmeras situações que Paulo vivenciou, procura olhar para Cristo e ter o privilégio de se identificar com Ele em Seus sofrimentos. Privilégio de nos identificarmos com Ele, para que de alguma forma alcançar a ressurreição dentro os mortos e receber a recompensa dos “loucos” deste mundo que percebem todo sentido da vida em um Deus que ama a ponto de entregar Seu único Filho para morrer em uma cruz em favor de gente desqualificada!.

Se você se enxerga, entretanto, como alguém cheio de si, que confia em sua própria justiça, que você olhe para dentro de você e pense na sua última falha. Na última vez em que se viu incapaz. Naquela situação em que você não tinha saída. Na última noite mal dormida. Que você coloque a “mão” na consciência e perceba que, por melhor que você pense que é, por maior que seja sua reputação, sua fama, seu status, sua tradição, você não tem poder para vencer a morte, para explicar inúmeras coisas, a começar por si mesmo, nem para se salvar do próprio pecado.

Arrependa-se hoje. Se aceite como um desqualificado!. Alguém que carece de um salvador! Pois o Deus do nosso Senhor Jesus Cristo te ama com um amor eterno! Com um amor único, puro, santo. Receba, pela fé em Jesus, em Seu sacrifício e Sua ressurreição, a graça salvadora de Deus!

Agora, se você está sem esperança e se vê como um verdadeiro desqualificado!, o evangelho do Senhor Jesus é para você! Que Nele, você desfrute do alívio que Jesus nos dá, da alegria de viver que Ele nos fornece e se sinta amado, por um Deus que te conhece e já experimentou os desprazeres da nossa vida humana. Ele te ama com um amor imensurável e deseja que você seja mais que vencedor em Cristo Jesus (Romanos 8:37).

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Desqualificados!]

1/10 – Introdução [Desqualificados!]

2/10 – Contexto [Desqualificados!]

3/10 – Confiança no Espírito ou na carne? [Desqualificados!]

4/10 – Exemplo de Paulo [Desqualificados!]

5/10 – Supremacia de Cristo [Desqualificados!]

6/10 – Perseverança em Ser Semelhante a Cristo [Desqualificados!]

7/10 – Exemplo [Desqualificados!]

8/10 – Inimigos da Cruz de Cristo [Desqualificados!]

9/10 – Cidadania Celeste [Desqualificados!]

Acesse o link original desta pregação:

Desqualificados!

Ouça o audio:

Faça o download:

Desqualificados!

Cidadania Celeste [Desqualificados!]

céu

A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo. Pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, ele transformará os nossos corpos humilhados, tornando-os semelhantes ao seu corpo glorioso. Portanto, meus irmãos, a quem amo e de quem tenho saudade, vocês que são a minha alegria e a minha coroa, permaneçam assim firmes no Senhor, ó amados! [20-4:1]

O fardo de se gloriar em si mesmo, de sempre se justificar, é muito pesado. Nos cansamos de fingir ser quem não somos. É algo que rouba nossa felicidade. Uma hora ou outra este fardo se tornará insuportável. Mas quem crê no poder de Deus para salvar terá alívio! Não precisará mais fingir, pois como alguém desqualificado! terá o consolo de um Deus que ama, um Deus que cura as feridas, que ressuscita os mortos e que fornece gratuitamente a salvação! Um Deus único, invencível, Todo-Poderoso, que nos ama e nos chama de filhos! A este Deus, o Deus do nosso Senhor Jesus, toda glória para sempre!

E este Deus haverá de, da mesma maneira como com o Filho, nos ressuscitar! Por isso, que nos esqueçamos de tudo que fica para traz, e tenhamos coragem para considerar tudo como esterco a fim de receber o prêmio do chamado celestial em Cristo Jesus! Avancemos em nossas vidas servindo ao Senhor com alegria e aos nossos irmãos com humildade, sabendo que como desqualificados! fomos salvos e a nós cabe sermos como Ele, humildes uns com os outros, para que naquele Dia, em que se manifestar o Filho de Deus, desfrutemos do privilégio de sermos chamados filhos de Deus, não em um mundo que privilegia e enaltece os qualificados, mas em um lugar, uma pátria celeste, como cidadãos do céu, um lugar em que o rei é Rei dos reis e Senhor dos senhores, o Cordeiro Santo que foi morto e ressuscitado, aquele que tem o nome que está sobre todo o nome, Jesus, o Filho de Deus, a honra, a glória e o poder para todo o sempre, amém!

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Desqualificados!]

1/10 – Introdução [Desqualificados!]

2/10 – Contexto [Desqualificados!]

3/10 – Confiança no Espírito ou na carne? [Desqualificados!]

4/10 – Exemplo de Paulo [Desqualificados!]

5/10 – Supremacia de Cristo [Desqualificados!]

6/10 – Perseverança em Ser Semelhante a Cristo [Desqualificados!]

7/10 – Exemplo [Desqualificados!]

8/10 – Inimigos da Cruz de Cristo [Desqualificados!]

Acesse o link original desta pregação:

Desqualificados!

Ouça o audio:

Faça o download:

Desqualificados!

Inimigos da Cruz de Cristo [Desqualificados!]

orgulho

Pois, como já disse repetidas vezes, e agora repito com lágrimas, há muitos que vivem como inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o seu deus é o estômago, e eles têm orgulho do que é vergonhoso; só pensam nas coisas terrenas. [18-19]

Paulo, muito embora tenha total compreensão do evangelho de Jesus, o qual desafiou e mudou toda sua história de vida, não tem para si orgulho ou vaidade da revelação que recebera de Cristo. Ao contrário, ele chora e se entristece ao ver gente envolta no engano. Ele sabe que estes “inimigos da cruz de Cristo” tem sua condenação garantida e sua postura frente ao erro é firme. Entretanto, Paulo não cai no mesmo erro deles, o de se orgulhar.

Semelhantemente, a Igreja não deve dar ouvidos a nenhum inimigo da cruz de Cristo. Aqueles quem desprezam o motivo maior da nossa justificação gratuita em decorrência de uma auto-justificação não são dignos de credibilidade, pois são inimigos da graça, inimigos de Cristo, inimigos do ato redentor de Deus e possuem ensinos que são uma armadilha para o povo de Deus. Mesmo assim, a Igreja deve ser equilibrada ao ponto de não se orgulhar em si mesma e não cair no mesmo erro dos orgulhosos que não necessitam da graça de Deus.

Devemos olhar para Cristo, que é o maior exemplo de humildade e obediência.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Desqualificados!]

1/10 – Introdução [Desqualificados!]

2/10 – Contexto [Desqualificados!]

3/10 – Confiança no Espírito ou na carne? [Desqualificados!]

4/10 – Exemplo de Paulo [Desqualificados!]

5/10 – Supremacia de Cristo [Desqualificados!]

6/10 – Perseverança em Ser Semelhante a Cristo [Desqualificados!]

7/10 – Exemplo [Desqualificados!]

Acesse o link original desta pregação:

Desqualificados!

Ouça o audio:

Faça o download:

Desqualificados!

Páscoa – A visão de um gentio

desconhecidoA Morte

Hoje é o dia em que Cristo morre. Em que ele se lança voluntariamente para morte. Eu não o conheço. Tão pouco sei como é seu povo, sua cultura, sua família, sua religião, sua filosofia. Não sei absolutamente nada. Me considero apenas um espectador dos fatos. E este é um fato, no mínimo, intrigante.

Jesus é considerado rei dos judeus, seu povo. Mas, mesmo assim, eles clamaram pela libertação de um tal de Barrabás e pedem que Jesus seja crucificado! E o mais estranho: Jesus não se justifica, não se defende, não exige justiça! Será que ele é louco? Não consigo encontrar uma explicação razoável para tudo isto.

Traído por um de seus discípulos, ele ainda o chama de amigo! É levado por soldados após a traição. É abandonado por todos os seus “amigos”. É levado como criminoso. Aquele que curou os doentes, libertou vidas de diabos e “vestiu a camisa” dos pobres anda por um caminho de morte, dor e sofrimento.

Em meio as “cusparadas”, gozações e insultos dos soldados de Roma, é espetáculo para um povo religioso, que rejeita seu “rei”, e curiosos. Curiosos bárbaros e gregos. Gentios, como eu. Jesus de Nazaré, espetáculo para o mundo. Por que?

Em meio ao próprio sofrimento, aquele que se diz Filho de Deus, pergunta por seu pai. “Por que me desamparaste?”, grita da cruz. A dor não somente da crucificação. Mas a dor do filho abandonado. A dor do filho que possui um pai indiferente. Que dor! Que sofrimento!

Sua missão aparenta ser a morte mesmo. “Está consumado!”, grita novamente pregado na cruz! Consumado por que? Não sei. Sofre, sofre e sofre. Sente dor. E se submete a dor. Se entrega à ela. Agarra a cruz com sua vida. Sofre dor de morte. Guerreia com a morte. Luta com ela. Algo sem lógica, sem explicação.

Ele se vai. A esperança se vai com ele. Ninguém entende, muito menos eu. Terremotos, caos, mortos ganham vida e proclamam em favor de Jesus, dizem alguns!

Sabe quando se sente algo diferente no ar? Todos sabem. Todos podem sentir no ar, na terra. Algo mudou. Mudou a essência, a lógica, a filosofia, o jeito, o senso, o gosto, os sentidos. Mas não entendo. O que se consumou? O que aconteceu? O que ocorreu?

Sepultamento

Ele foi levado. Um homem rico lhe deu um lugar de honra entre os mortos.

Ali permaneceu, vigiado. Soldados, se revezam. Pedra enorme tampava seu túmulo.

Seus amigos? Escondidos. Medrosos.

O traidor? Não conseguiu lidar com o peso de sua consciência traidora. Não se entregou a morte. A morte lhe propôs uma solução. Para ele foi irrecusável.

O Deus deste Jesus é alguém que trabalha em favor daqueles que o amam, diz as sagradas letras do judeus. Estaria Deus trabalhando na morte deste Jesus de Nazaré? Ora, mas Deus não o havia abandonado? Perguntas que permanecem sem respostas.

Ouvi dizer que ele veio para o povo dele, mas eles o rejeitaram.

Ressurreição

No terceiro dia, mulheres conhecidas dele foram até o túmulo. E, misteriosamente, o corpo havia sumido! Nem soldados, nem as mulheres, nem ninguém sabia explicar.

Aparições de homens de branco, anunciam que o morto vive! Que o Jesus não é encontrado entre mortos, mas vivo ele está!

Na descrença dos discípulos, fala-se de uma aparição de Jesus. As marcas da crucificação dizem estar lá. Mas ele está diferente. Ultrapassa paredes!

Após alguns anos do ocorrido, muita movimentação no meio destes judeus, por conta dos seguidores do Jesus Ressuscitado, recebo maiores detalhes, muitas dúvidas são esclarecidas…

O Jesus ressuscitado, rejeitado por seu povo, não pensava só neles quando se abraça na morte na cruz. Não foi somente por judeus que este Jesus ressuscitou. Ouço falar, através de seus seguidores, que Deus deu uma missão para Jesus. Morrer pela humanidade! Morrer no lugar da humanidade.

Sofrer a dor, a punição, o sofrimento, o abandono do Pai, a traição, a humilhação. Tudo de uma vez. Tudo Nele. Toda maldade Nele. Toda maldição Nele! Toda ferida Nele. Toda retribuição pelo mal dos homens em um só homem: Jesus!

Eu não sou judeu. Eu não conheço suas tradições. Eu não sabia quem Jesus era. Ele nunca havia falado comigo. Nunca haviam falado Dele para mim antes. Sou um completo desconhecido. Pelo menos assim eu pensava.

Como poderia um justo morrer por um injusto? Pior ainda, um justo por um injusto desconhecido?

Sou injusto? Sim, sou. Não faço o bem quando posso. O mal, faço sem pensar. Meu coração é inclinado para amaldiçoar! Miserável homem que sou!

Ai vem este Jesus e morre por mim? Que injustiça! Que loucura! Está tudo fora do lugar, nada faz sentido! Este Jesus, que dizem ser Deus, morrer por mim? Morrer já contradiz toda lógica, mas por mim? Sou um desconhecido!

Após anos remoendo os acontecimentos, deixei esta suposta loucura para trás. Me rendi ao poder que há em Jesus!

Pois está escrito: “Destruirei a sabedoria dos sábios e rejeitarei a inteligência dos inteligentes”. Onde está o sábio? Onde está o erudito? Onde está o questionador desta era? Acaso não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo? Visto que, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por meio da sabedoria humana, agradou a Deus salvar aqueles que crêem por meio da loucura da pregação. Os judeus pedem sinais miraculosos, e os gregos procuram sabedoria; nós, porém, pregamos a Cristo crucificado, o qual, de fato, é escândalo para os judeus e loucura para os gentios mas para os que foram chamados, tanto judeus como gregos, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus. Porque a loucura de Deus é mais sábia que a sabedoria humana, e a fraqueza de Deus é mais forte que a força do homem. – 1 Coríntios 1:19-25

Sim. Ele pensou em mim. Eu experimentei Ele.

Sou feliz com Jesus, meu Senhor!

p/ André Anéas

Uma Grande Lição de Graça (40-48) [Por que se entregar a Deus?]

fariseuA parti deste momento, Jesus de uma maneira graciosa repreende o fariseu através de uma parábola. Digo graciosa, pois “Deus repreende e corrige aqueles a quem Ele ama”, conforme Hebreus 12:6. Acredito que o fariseu é como um filho com o coração endurecido. Para Jesus, ele é digno desta lição, repreensão e correção. O fato de Jesus ter se voltado ao fariseu revela amor e não indiferença. Portanto, creio que antes de taxarmos os fariseus, precisamos olhar com maior atenção a maneira do Senhor trata-los, pois graças a misericórdia de Deus eles foram advertidos e tiveram a oportunidade de voltar ao caminho de Deus.

Quando observo a misericórdia de Deus, penso sempre que o Todo-Poderoso poderia ter impedido a procriação do homem na queda, cortando o mal pela raiz. Ao contrário, foi misericordioso com TODOS (desde Adão). Por ter permitido que a raça continuasse viva e fértil, temos o maior ato de misericórdia, que tem sido renovada todos os dias, pois temos a chance de escolhermos por Ele, assim como todos antes e depois de nós.

A parábola conta acerca de dois devedores que não tinham como pagar um credor. Um devia 50 e outro 500. O credor decide perdoar a divida dos dois. Jesus pergunta ao fariseu: “qual deles amará mais o credor?”. Simão responde: “o que devia mais”. Jesus diz que ele julgou corretamente.

A parábola nos revela a forma da graça se manifestar. Ela é um presente imerecido. Ela é a quitação da dívida do devedor, sem o devedor ter feito nada para merecer este perdão. O credor é gracioso para com seus endividados sem eles merecerem.

Ao contar a história Jesus tem a intenção de mostrar ao fariseu algo que ele não havia entendido. Jesus lhe diz que o conjunto de atos de amor oferecido a Ele pela mulher revelava o tamanho do amor dela por Ele. E que, quando comparado aos atos do fariseu por Jesus, a mulher demonstrara maior amor. Mais do que isso, Jesus faz uma ligação da quantidade de amor com a quantidade de pecados perdoados. Ou seja, a mulher muito amou, por isso muitos pecados dela foram perdoados. Já quem pouco ama, poucos pecados são perdoados, aqui no caso o fariseu.

O fariseu não havia compreendido que para se ter uma vida completamente entregue a Deus é preciso amar MUITO. Não necessariamente seguir uma religião, ter um status social, possui cargos de liderança, mas tão somente amar a Deus de toda sua força, coração, alma e entendimento, semelhantemente a mulher que teve seus pecados perdoados.

Esta entrega total implica em humilhação e adoração. Humilhação pois precisamos nos colocar em nosso lugar. Se não formos humildes perante Deus, mas arrogantes e soberbos, nos tendo em alta estima, Ele resistirá a nós e o amor verdadeiro não estará em nós. Agora, se nos humilharmos perante Deus dizendo a Ele o quanto precisamos Dele, o quanto somos necessitados Dele, o quanto o amamos, Ele nos dará sua presença, Ele falará conosco. Nos perdoará. A adoração é resultado de uma vida humilhada perante Ele, percebendo que Ele é e eu não sou nada sem Ele.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Por que se entregar a Deus?]

1/8 – Introdução [Por que se entregar a Deus?]

2/8 – “Entrega” [Por que se entregar a Deus?]

3/8 – Um convite inesperado? (36) [Por que se entregar a Deus?]

4/8 – À procura de Jesus (37-38) [Por que se entregar a Deus?]

5/8 – Pé Atrás (39) [Por que se entregar a Deus?]

Acesse o link original desta pregação:

Por que se entregar a Deus?

Ouça o audio:

Faça o download:

Por que se entregar a Deus? – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Missionários Cristãos Cooperadores – MCC

logo mcc

Você já imaginou um lugar em São Paulo em que existe a possibilidade de alguém não sabem quem é o Neymar? Pois é, este lugar existe…

Entre os dias 24 e 26/05/2013, tive o privilégio de realizar uma viagem junto dos Missionários Cristãos Cooperadores (MCC). O MCC é uma agência missionária interdenominacional. Nos links a seguir é possível conhecer mais sobre quem são e a sua história:

http://www.mccbrasil.org.br/sobre-nos/quem-somos

http://www.mccbrasil.org.br/sobre-nos/nossa-historia

Gostaria de destacar aqui um grande diferencial do MCC. Mensalmente são organizadas viagens para região do Vale do Ribeira, mais especificamente aos municípios mais carentes e que estão com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) de São Paulo. Em cada viagem trabalhos específicos são feitos, como por exemplo, atendimento médico para as comunidades, doações e, principalmente, atuação dos voluntários junto das famílias dos municípios.

Principalmente por que? Por que o MCC proporciona à Igreja a possibilidade de “sentir na pele” aquilo que o missionário local enfrenta todos os dias. Os voluntários cristãos cooperadores estão no campo missionário e tem a possibilidade de servir ao Senhor com seus dons e talentos, realizando muitas atividades. Entre elas destaco as visitações. Nas visitas aos lares das famílias o cristão se depara com a realidade do Evangelho do Senhor Jesus: “ide e anunciai”, muito diferente do “evangelho” cômodo da Capital Paulistana. Com o trabalho realizado vejo alguns benefício para Igreja:

  1. Ratificar a necessidade de anunciar as boas novas aos oprimidos, os “sem-esperança”;
  2. Conscientizar a Igreja da importância de apoiar o missionário no campo, não somente financeiramente;
  3. Compreender que a Igreja DEVE ser a voz, os pés, os olhos e as mãos do Senhor Jesus nesta terra!

Na última viagem realizada tivemos o privilégio de servir as crianças na escola de Araçaíba. Foram realizadas diversas gincanas, teatro, música foi tocada e a mensagem de esperança do Senhor Jesus anunciada!

Em paralelo, neste final de semana foi realizado o “Dia da Princesa”. Com foco em aumentar a autoestima das mulheres da região, cortes de cabelo, maquiagem, limpeza de sobrancelhas e palestras sobre temas femininos foram realizados. As mulheres compareceram e puderam ser cuidas e valorizadas por servas do Senhor que se dispuseram a servir ao próximo.

O trabalho, feitos em diversas localidades ao mesmo tempo, foi ministrado também no Núcleo Cristão Cidadania Esperança para o Vale (NCCEV), ONG que tem parceria com o MCC. Esta ONG fornece educação para crianças de 3 a 6 anos com o objetivo de oferecer uma condição digna. Vale a pena dar uma olha no link sobre o NCCEV:

http://www.mccbrasil.org.br/2012-07-31-00-54-51/projeto-social

Foi minha segunda viagem junto do MCC e algo ficou ainda mais claro para mim: a necessidade da Igreja interceder pela região (questões governamentais, pelo trabalho realizado do MCC, pela ONG e pelas vidas) e que com estes, a quem Jesus nos exorta a cobrir, visitar, repartir o pão, podemos aprender lições para toda vida!

É constrangedor a forma das pessoas que não possuem nada repartirem aquilo que recebem prontamente com o próximo delas (um vizinho, por exemplo). Outro acontecimento que me marcou foi a maneira deles presentearem os visitantes com o pouco que tem, as vezes o único saco de mandioca da casa e único item da dispensa…

Trabalho abençoado.

Trabalho sério com gente séria.

Trabalho que se propõe a estar onde ninguém quer estar.

Para mais informações sobre como participar de uma viagem, doações, ONG, fotos, etc., acesse:

http://www.mccbrasil.org.br/.

Muitas vezes queremos ser sal e luz do mundo como crentes. Mas, infelizmente, temos dificuldade em encontrar lugares sérios para investir no Reino de Deus. Aqui está um exemplo de um trabalho de verdadeiros servos do Senhor. Pessoas comprometidas com o Reino, sem nenhum preconceito denominacional, que desejam amar ao próximo e anunciar o evangelho do Reino de Jesus.

Encorajo você a conhecer, se envolver, investir, interceder. Ore e coloco diante de Deus a possibilidade de realizar uma viagem com o MCC. Tenho certeza que você será abençoado!

Deixo aqui meu abraço ao MCC, irmão e amigos.

André Anéas