A Palavra de Deus [Recebendo um “Feedback” de Deus]

… e em vocês a Palavra de Deus permanece… – 1 João 2:14

semeador

Além da “força”, João diz que a Palavra permanecia neles! Entendo que a força a qual João se refere seja sim da disposição que os jovens tem, porém, canalizada para o Reino de Deus! Ao dizer que a Palavra permanecia neles, me lembro da parábola de Jesus das sementes…

Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta. – Mateus 13:23

Estes jovens descritos em 1a João, davam frutos, pois a Palavra, o Evangelho de Cristo, permaneceu neles. Não se tratava somente de compreensão, como o texto de Mateus diz. Mas frutos, ações, mudanças, arrependimento genuíno, conversão real e experiência verdadeira com o Cristo!

A junção da força natural dos jovens com a experiência real com o Criador, em cujo Evangelho permanece, numa terra boa, resulta em frutos! E o que seria “fruto” se tratando do Evangelho? Seria demonstrações interiores e exteriores da árvore a que o fruto se refere. E qual árvore fornece o fruto descrito em Mateus? Jesus.

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Recebendo um “Feedback” de Deus]

1/8 – Introdução – Igualdade no Corpo [Recebendo um “Feedback” de Deus]

2/8 – Introdução – “Feedback” [Recebendo um “Feedback” de Deus]

3/8 – Perdão dos Pecados [Recebendo um “Feedback” de Deus]

4/8 – Conhecer a Deus [Recebendo um “Feedback” de Deus]

5/8 – Força [Recebendo um “Feedback” de Deus]

Acesse o link original desta pregação:

Recebendo um “Feedback” de Deus

Ouça o audio:

Faça o download:

Recebendo um “Feedback” de Deus – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Conhecer a Deus [Recebendo um “Feedback” de Deus]

Pais, eu lhes escrevo porque vocês conhecem aquele que é desde o princípio. 1 João 2:13

Conhecer a Deus

O conhecimento dos “pais” é destacado pelo apóstolo. Eles são conhecidos por conhecerem Deus, aquele é desde o princípio. E quem é desde o princípio?

No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. – João 1:1-4

Eles conheciam o Senhor. E conhecer implica em amar e obedecer a Deus:

Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu. – 1 João 3:6 

Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. – 1 João 4:7-8

A. W. Tozer, nos fala sobre conhecer o Deus certo:

“O evangelho pode tirar da mente esse fardo destruidor, substituir as cinzas pela beleza, e o espírito de opressão pelas vestes de louvor. A não ser que o peso deste fardo seja reconhecido, o evangelho não fará sentido para o homem; e a não ser que ele veja a visão de Deus alto e exaltado, não haverá pesar ou fardo. Ideias baixas de Deus destroem o evangelho para todos que as têm.”

Ou seja, para correta compreensão do Evangelho é essencial conhecer o Deus certo. Pois sim, é possível imaginarmos um Deus que não é o Deus revelado em Jesus! Hoje em dia, muitas pessoas estão atrás de um Deus que somente resolve problemas, que traz benefícios, que nos dá vantagens! E esta realidade não está restrita a igrejas que ouvimos falar. Precisamos olhar em nós e perceber qual Deus estamos adorando. Se é o deus que somente nos dá o queremos ou se é o Deus Todo-Poderoso e exaltado, digno de louvor, eterno, que deve ser adorado em qualquer circunstância, o Deus SANTO que fora ofendido por nossa rebelião, nosso pecado!

Quando compreendemos que conhecer a Deus implica em colocá-lo na posição de Criador e nos colocar como criaturas, a realidade do evangelho, do Deus que nos adota como filhos e se faz Pai em Cristo, será algo ainda mais impressionante! Será muito maior do que nossa compreensão!

Uma vez que João se dirigi aos “pais”, cabe aqui um alerta aos mais maduros na Igreja. Uma vez que vocês conhecem o Pai, vocês tem a responsabilidade de fazer o Pai ser conhecido através da vida de vocês. Fazer conhecido na sua família, no mundo e servir de exemplo ao mais novos na Igreja do Senhor, sendo referência de caráter cristão e de amor!

Conhecer a Deus é importante. Mas destaco as Palavras do Senhor Jesus:

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade. – Mateus 7:22-23

Mais importante do que conhecê-lo é ser conhecido por Ele! Deus exige de nós algo genuíno, verdadeiro e não de “fachada”. Precisamos nos examinar e nos arrepender. Conhecemos verdadeiramente o Senhor? Nossas ações são verdadeiras, genuínas? O Senhor nos conhece? Sabe da nossa humildade, das nossas orações em secreto, nas quais nos colocamos diante Dele como pó e quem não tem nada se não Ele? Sabe do nosso anseio de agradá-lo por quem Ele é e não somente pelo que Ele faz? Sabe da nossa verdadeira intenção de amá-lo, porque Ele nos amou?

Ser conhecido Dele é conhecê-lo…

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Recebendo um “Feedback” de Deus]

1/8 – Introdução – Igualdade no Corpo [Recebendo um “Feedback” de Deus]

2/8 – Introdução – “Feedback” [Recebendo um “Feedback” de Deus]

3/8 – Perdão dos Pecados [Recebendo um “Feedback” de Deus]

Acesse o link original desta pregação:

Recebendo um “Feedback” de Deus

Ouça o audio:

Faça o download:

Recebendo um “Feedback” de Deus – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Manifestações no Brasil!

“Aqui se fala do Reino de Deus…”

É exatamente por isso, que não há momento mais propício para que toda esta “onda” de protestos aconteça em nosso país. Como cristão acredito em um Deus que clama por justiça social. Um Deus que convoca o Seu povo a ser justo socialmente e a se atentar com a causa do oprimido socialmente. Um Deus que olha atentamente para o descoberto, o faminto, o aprisionado, o que tem sede, o estrangeiro, o nu. Jesus nos alerta claramente que quem cobre o que tem frio, visita o aprisionado, dá comida ao faminto, assim o faz à Ele – Mateus 25.

Não há momento mais propício por que? Porque nós brasileiros estamos cheios de tanta injustiça no nosso país! Cheios de políticos ladrões, cheios de gente que manipula e testa a paciência do povo. Cheios de uma mídia que é USADA para ser o “circo” do povo. Cheios do “pão” que mais se parece com migalhas. Cheios de gente interessada em alienar o povo, deixando-o sem educação, sem segurança, sem saúde e sem dinheiro! Cheios de uma péssima gestão do dinheiro público. Cheios de tantos que se candidatam, são votados, mas que carecem de caráter, honra, valores, princípios e vocação política para servir ao povo e representa-lo. Cheio de não ter nem em quem votar!!! CHEIOS.

A gota d’água foram os 0,20 centavos de aumento no transporte público. Mas o que mais tem me indignado neste país é a Copa do Mundo. É contraditório, é sem fundamento, é inútil, desnecessário e banal a realização de tal evento em um país como o nosso. Um país carente e desesperado por soluções sociais. Bilhões investidos. Não sei quantos reais desviados. O imposto, pago regularmente todo mês, proporcional ao valor recebido por nosso trabalho, que deveria ser distribuído para que TODOS os cidadãos brasileiros possam ter qualidade de vida ([saúde + transporte + segurança + educação]*QUALIDADE), são investidos de maneira gananciosa, em privilégio de poucos e para desastre de muitos. É lamentável!

Olho com bons olhos tudo o que está acontecendo no país! Vejo um povo que se levantou, que manifestou sua “fome” de justiça. Nada mais justo e dentro da lei! O mais nobre disso tudo é ver um povo que se levantou pelo caído, pelo pobre, pelo trabalhador.

Aqui, neste espaço virtual, declaro meu apoio as causas por mim descritas e representadas por tantos brasileiros nas ruas do país!

Declaro também repúdio a qualquer ato de violência e de vandalismo.

Posso dizer hoje que sou brasileiro. Brasileiro que não é bobo e nem manipulado. Brasileiro de um país que não é do carnaval e nem do futebol. Brasileiro de um país que se levanta e luta por justiça. Brasileiro que tem paciência, mas uma paciência que tem limite. Brasileiro, com orgulho brasileiro.

brazil world cup 2013

Um convite inesperado? (36) [Por que se entregar a Deus?]

convite inesperadoGostaria de expor a história relatada por Lucas no capítulo 7:36-50, em que uma pecadora demonstra de maneira singular seu amor pelo Mestre. Tenho certeza que a partir deste relato, a Palavra dará luz sobre as seguintes perguntas: “Por que devemos nos entregar a Deus?”, “O que significa se entregar a Deus?” e “Quais implicações práticas eu tenho me entregando a Deus?”.

Algo que precisa ser esclarecido acerca do Mestre: Ele não era festeiro e nem beberrão. Digo isto, pois muitas vezes ouvimos pessoas dizerem aquilo que os fariseus e mestres da Lei diziam sobre o nosso Mestre com o objetivo de denegri-lo. Que tipo de consideração merecem as palavras de pessoas que constantemente armaram ciladas para Jesus? Que crédito tem alguém que se utiliza de mentiras e artimanhas para tentar denegrir a imagem de um inocente? Observe os exemplos: João 8:6 (mulher adultera), Lucas 7:34 (“beberrão e comilão”), Lucas 23:2 (mentiras dos judeus no julgamento de Pilatos), Mateus 27:20 e Marcos 15:11 (líderes convencem / incitam a multidão a pedir por Barrabas), e por ai vai.

Abro um parênteses ao observar as inúmeras tentativas da liderança judaica de “derrubar” Jesus:

Cuidado com lobos em peles de cordeiro. A liderança judaica, os fariseus e “peritos na Lei” eram, em muitas situações, lobos em peles de ovelhas. Ele tentaram provocar Jesus a uma falha com armadilhas, argumentos, convencê-lo a aceitar aquilo que eles achavam certo. Hoje em dia existem muitos lobos nas lideranças da igreja. Cuidado! Muitos deles se portam como ovelhas, mas no momento em que forem confrontados com a VERDADE, com seus erros, pecados, falta de condições, de preparo, domínio próprio, de discernimento e com o próprio chamado, certamente vão trazer a tona suas verdadeiras identidades: lobos políticos, maquiavélicos, que fazem armadilhas e artimanhas, na maioria das vezes para nos confundirem sobre a VERDADE. Corromper a VERDADE é pior do que roubar dinheiro. Que tenhamos a mesma comunhão com o Pai, que teve Cristo, para discernir quem são este peritos em destruição psicológica e nos mantermos fiéis à Ele, sem nos dobrar diante destes cães.

O fato de Jesus ir até a casa de um Fariseu jantar e permitir a aproximação de uma pecadora não revela um Cristo que “topa tudo” para anunciar as verdades do Reino para os pecadores. Lucas coloca o texto referente a mente maquiavélica dos “fariseus e peritos na lei”, dizendo que Jesus era “comilão e beberrão”, um pouco antes do relato do convite do fariseu a Jesus. Por que Lucas coloca os textos próximos um ao outro? A resposta desta questão pode nos evidenciar a intenção de Lucas de nos esclarecer quem era Jesus de fato, desmistificando esta ideia errônea que muitos tem hoje, de que Jesus era um cara “bacana” e “legal”, sem preconceitos, com mente aberta, “descolado” e liberal. A imagem que muitos tem de Jesus é formada por pensamentos farisaicos, da ala que queria incriminar Jesus por meio de armadilhas e mentiras. Isto fica ainda mais evidente quando observamos o versículo 40, em que o fariseu o chama de “Mestre”, expressão comumente usada para se dirigir a rabinos. Jesus não estava na casa de alguém que não tivesse interesse em ouvir aquilo que Jesus estava anunciando. Jesus não estava em um “passa tempo”, “curtindo” um jantar na casa de amigos e disposto a ser conivente com o pecado, para “conviver e caminhar junto deles”. Muito pelo contrário.

O interesse de Jesus era um: anunciar as boas notícias do evangelho aos desesperados, oprimidos, cativos, pecadores e doentes. Ele veio para os doentes e não para sãos. Seu “público alvo” era simplesmente gente sem esperança, pessoas que precisavam ser salvas, vidas que precisavam de uma saída, de um escape. Não há espaço no Reino de Deus para soberbos, arrogantes, gente autossuficiente e que não precisa de Deus. Conforme a Palavra diz em Tiago 4:6: “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”. Por isso Jesus conversava com pecadores e por isso a multidão tinha acesso a Ele, porque Ele tinha compaixão do povo. De maneira nenhuma Jesus se contaminou com o pecado, foi conivente com o pecado, participou do pecado. Nunca!

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Por que se entregar a Deus?]

1/8 – Introdução [Por que se entregar a Deus?]

2/8 – “Entrega” [Por que se entregar a Deus?]

Acesse o link original desta pregação:

Por que se entregar a Deus?

Ouça o audio:

Faça o download:

Por que se entregar a Deus? – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

O Reino de Deus é como um tesouro…



O Reino dos céus é como um tesouro escondido num campo. Certo homem, tendo-o encontrado, escondeu-o de novo e, então, cheio de alegria, foi, vendeu tudo o que tinha e comprou aquele campoMateus 13:44

“O Reino de Deus chegou” é o centro da pregação de Jesus de Nazaré. O principal propósito de Cristo em sua pregação era anunciar o Reino dos céus e dizer a todos que se arrependessem devido a este acontecimento.

Hoje em dia não estamos acostumados a viver em uma monarquia, que pressupõe a existência de um reino. Basicamente, um reino é composto por princípios, regras e leis que partem da autoridade suprema do reino, o rei. E mesmo que nós não vivamos em um reino propriamente dito, fato é que baseamos (conscientes ou não) nossas vidas em princípios, regras e leis de algum “reino”. E se não estivermos aderentes ao padrão do reino em que estamos inseridos, consequentemente, não estaremos aptos a sermos cidadãos do reino, correndo o risco de sermos colocados a margem da sociedade deste reino (marginalizados).

O reino mais predominante nos dias de hoje possui alguns princípios, regras e leis. O padrão deste reino é muito simples de ser detectado, pois está em total contraste com o Reino de Deus anunciado por Jesus. Vou intitular este reino como “Reino dos homens”.

Principais diferenças:

Reino dos homens”:

  • Cada um por si
  • “O mundo é dos espertos”
  • Faça o que der na “telha”
  • Não há esperança ao descontentes ou oprimidos do reino
  • Não há saída para quem não quer aderir aos valores do reino

Reino de Deus

  • Todos os habitantes deste Reino vivem em comunhão
  • Os cidadãos deste Reino não buscam “contar vantagem”
  • Os valores do Reino ao cidadãos são feitos pelo próprio Rei e todos sabem que estes valores são os melhores!
  • Este Reino é a esperança para os habitantes do “reino dos homens” e a esperança que foi alcançada para os que já fazem parte do povo
  • Este Reino é a “saída” para os que desejam valores diferentes dos encontrados no “reino dos homens”

Jesus nos diz que o Reino de Deus é semelhante a um tesouro perdido, que encontrado por um homem, o faz ALEGRE a ponto de vender TUDO o que possui para comprar o terreno onde o tesouro está localizado.

O Reino de Deus é algo muito valioso. Valioso ao ponto de quando encontrado tornar todas as demais coisas em posse do “encontrador” menos importantes do que o Reino. E menos importantes ao ponto de tudo se tornar insignificantes perto deste achado. O Reino de Deus é um tesouro, algo de muito valor, que faz o coração da pessoa que o encontra transbordar de alegria, deixando tudo de lado por este Reino.

Quando Jesus diz que o homem vende tudo, podemos entender que ele está falando de arrependimento. Quando o homem percebe o valor que este Reino tem, é natural, se o desejo do homem é se tornar “habitante” do Reino, que ele se arrependa de ter vivido nos padrões do reino dos homens, se convertendo ao padrão do Reino de Deus. Ou seja, mudando o seu andar para direção contrária, seguindo a partir de agora o Rei do Reino de Deus.

Agora, por que de tanta alegria em encontrar o Reino de Deus? Por causa do Rei que governa o Reino. O Rei que governa o Reino é bom, se preocupa com seu povo, os ama com um amor verdadeiro, é completamente justo, nunca errou, sabe exatamente aquilo que cada um necessita, é perdoador, misericordioso, gracioso e está acima dos “reis” que governam o reino dos homens. Além disso, Ele adota TODOS os habitantes do Reino como filhos! É um tesouro ou não é?

Não sei quais são os reinos, ou subúrbios do “reino dos homens” que você tem habitado. Talvez você esteja se dando muito bem neste reino, tirando vantagens ilícitas, passando para traz muita gente, ou sendo egoísta ao ponto de olhar somente para os seus interesses. Talvez você seja um desamparado. Alguém que não possui esperança, que não tem expectativa, que foi injustiçado. Ou ainda você está marginalizado, sem valores morais definidos e em prática, sem amor de ninguém, sem atenção.

Saiba de algo! O Reino de Deus chegou! Este Reino foi estabelecido aqui na terra quando Jesus morreu na cruz pelos habitantes do “reino dos homens”. O preço pago na cruz (morte de Cristo) é respectivo a escolha dos homens em fazer outro reino, com princípios, regras e lei contrários aos padrões de Deus.

Por causa da morte de Cristo, hoje nós temos acesso ao Reino de Deus. Mas, é pré-requisito o arrependimento, a conversão. Para se fazer parte do Reino de Deus, precisamos recebê-lo como um tesouro, deixando tudo que regia nossa vida e que está em contraste com os padrões do Rei. Mudar atitudes. Com o passar do tempo percebemos que há alegria, satisfação e sentido de vida verdadeiro e pleno no Reino de Deus.

O Reino de Deus chagou!

Deus abençoe sua vida, em nome do Rei do Reis e Senhor dos Senhores, Jesus!

André Aneas