Fé e Obras em Tiago e, ironicamente, em Lutero

A graça e paz do Senhor!

Com a expectativa que o Espírito Santo te desafie a caminhar em uma fé profunda e produtiva, compartilho esta pregação realizada em 09/07/2017 na amada Igreja Batista Mundo Novo.

Refletindo sobre os 500 anos da reforma protestante e sobre fé e obras, acredito que não haja tema mais atual e pertinente para esta geração. E, trabalhando este assunto na carta de Tiago, Martinho Lutero, ironicamente, tem muito a nos ajudar! Sim, embora toda sua dificuldade com Tiago em relação a justificação pela fé, o prefácio de Romanos que Lutero escreve é uma preciosidade acerca da fé verdadeira e tem muito a colaborar no entendimento de Tiago 2:14-26.

Transcrevo abaixo um trecho do seu texto:

Mas a fé é uma obra de Deus em nós que nos transforma e nos faz nascer de novo (Jo 1.13). E ela mortifica o velho Adão, faz de nós uma pessoa totalmente diferente no coração, no espírito, na mente e em todas as nossas forças e traz consigo o Espírito Santo. Ó coisa viva, operosa, ativa, poderosa é essa fé, sendo impossível que não resulte em fazer o bem incessantemente.

Oro para que sua vida seja plena da realidade da fé que Deus gera no coração humano!

Nele,

André Anéas

Fé e Obras em Tiago e, ironicamente, em Lutero

Reforma da Verdade

Hoje celebramos um dia de vitória. Vitória em cima da incoerência, da falsidade, da mentira. Vitória daqueles que ousam não se submeter a dogmas, ideias inquestionáveis e paradigmas. Um dia em que se morre por um ideal. Um dia em que a vida é inteiramente investida por um único propósito. Neste dia ideias são mudadas, transformadas. Pensamentos se desconstroem. O ego é estressado ao máximo. Há morte, mas há vida. Há destruição, mas há construção. Há choro, mas há alegria. Há dor, mas existe alívio. Uns morrem, mas outros vivem. Hoje é o dia da celebração. Celebração da “banca” que é quebrada. Dos sistemas que são desligados, nem que por um instante. Estruturas são abaladas! Não sem esforço, mas com satisfação de colocar a verdade em lugar de destaque, no lugar lhe é devida. A verdade. Sim, mas não uma qualquer. A Verdade! A verdade da Verdade que reformou o que precisava ser destruído e reconstruído. A Verdade que abalou o cosmos, as estruturas mais básicas. À Verdade a glória, honra e poder! A Verdade, Aquele que transforma, que ousa, que age, que morre, para que haja vida! Comemoramos hoje a Reforma Protestante, para colocar a Verdade, a saber Jesus de Nazaré, acima de tudo e de todos! Sim, Jesus, que continua nos reformando e transformando.

André Anéas