Elias: profeta imprevisível [Cristãos Imprevisíveis]

Elias era um profeta diferente. Foi testemunha do poder de Deus, provou da mão protetora do Senhor, do cuidado de Deus, experimentou inúmeras experiências com o SENHOR. Tudo o que Ele viveu com Deus nos mostra algumas verdades importantes: ele estava totalmente convicto do poderio do Senhor; ele escutava o Senhor; ele obedecia ao Senhor; mesmo em meio a fraqueza, em sua crise (capítulo 19), não teve dúvidas de orar a Deus. Não é a toa que Elias não conheceu a morte. Algo no relacionamento dele com Deus o fez experimentar mais intimidade, maior profundidade e verdade absoluta.

EliasO profeta não tinha medo de obedecer a voz do Senhor e, mesmo depois, ao ter medo de Jezabel e pedir a morte a Deus, ele não chega a duvidar da existência do Senhor, não deixa de acreditar naquilo que Ele faz, não deixa de se submeter aos cuidados do Pai. Claro que ele teve medo, pois conforme Tiago 5:17 diz, era homem como nós. Creio que ele passara por algo semelhante a Jó, ao se ver por suas próprias palavras em 1 Reis 19:10. Mesmo assim, Elias sabia que seu discurso, sua crença no SENHOR era vivenciada na prática e não em teorias. Não se trata de um super-herói, mas de uma pessoa submissa ao SENHOR.

Outro fato de destaque e determinante para o que o Senhor me levou a refletir: ele era imprevisível. Não por sua criatividade, não por sua própria força, afinal ele mesmo reconhece que não é melhor que seus antepassados (19:4). Ele era imprevisível pois era dominado pelo Espírito do Senhor, como o próprio Obadias disse e temeu (18:12). Ele poderia ser levado para qualquer lugar, para ter qualquer ação que Deus desejasse. E mais ainda, Ele conhecia o SENHOR e o SENHOR o conhecia. Ele sentia a dor de ver o Reino do Norte longe dos caminhos do Senhor, em profundo adultério à aliança com Iavé. Ele era a voz profética naquele lugar e estava convicto de que Deus não estava alegre com aquela situação. Esta imprevisibilidade que o movia era revelada em grande poder de Deus através do próprio Elias para levar o povo ao arrependimento. Para “chocar” o povo com a grandeza de Deus!

Elias era relevante naquela situação. O papel dele como servo do Senhor estava sendo desempenhado em plenitude, com entrega total. Ele não mediu as consequências de seus atos. Ele se dispôs ao Senhor e Deus o usou de maneira extraordinária e de forma impactante!

André Anéas

[acompanhe esta série de posts sobre Cristãos Imprevisíveis]

1/9 – Introdução: nós e o propósito da Igreja [Cristãos Imprevisíveis]

2/9 – Contexto e história de Elias no monte Carmelo [Cristãos Imprevisíveis]

Acesse o link original desta pregação:

Cristãos Imprevisíveis

Ouça o audio:

Faça o download:

Cristãos Imprevisíveis – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Conclusão [Intimidade com Deus – De Mãos Dadas com o Senhor]

Qual a nossa resposta perante este Deus? Qual o retorno que temos dado aos Seus gestos de amor? Eu vivi por muitos anos algo superficial com Ele. Mas um dia eu me entreguei, me humilhei e me arrependi. O caminho da entrega, humilhação e arrependimento é a porta inicial para reconciliação com Deus, para um real relacionamento com Ele.

Ele deseja se relacionar com você! E Ele sabe que você só terá satisfação Nele. Nosso relacionamento íntimo só é totalmente suprido em Deus. Talvez tenhamos enfrentado muitos relacionamentos fracassados, mas saiba que Deus te ama e que Ele deseja caminhar contigo! É a vontade Dele estar de mãos dadas contigo no jardim. É desejo Dele que vocês tenham um relacionamento profundo, íntimo e eterno.

Ao se render totalmente, se santificar e receber o processo de Deus de crescimento na sua vida, você desfrutará do melhor Dele. Esta relação sincera, genuína, produzirá liberdade. Para adorar a Deus com liberdade é necessário intimidade, paixão por Ele, um coração quebrantado na presença Dele.

Não é a toa que o Senhor compara sua igreja com uma noiva e Ele se coloca como noivo. O relacionamento desejado por Ele é algo apaixonado. Deus espera o máximo desta relação, Suas expectativas são as maiores.

Talvez você tenha percebido que seu relacionamento com Ele não está de acordo com o que Ele espera. Saiba que Ele está pronto para ouvir sua oração, pronto para te perdoar, pronto para te amar. Seu pecado não é maior do que o amor Dele por você. Sua omissão não é maior do que o amor que Ele tem por ti. Se renda, se arrependa e tenha intimidade com Ele!

André Aneas

[acompanhe esta série de posts sobre Intimidade com Deus]

1/6 – Relacionamentos Humanos [Intimidade com Deus]

2/6 – Deus Deseja um Relacionamento Íntimo com Você! [Intimidade com Deus]

3/6 – Entrega Total [Intimidade com Deus]

4/6 – Santidade [Intimidade com Deus]

5/6 – Disposição para Enfrentar as Crises [Intimidade com Deus]

Acesse o link original desta pregação:

Intimidade com Deus

Ouça o audio:

Faça o download:

Intimidade com Deus – De Mãos Dadas com o Senhor – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)

Santidade [Intimidade com Deus – De Mãos Dadas com o Senhor]

Quanto mais próximos de Deus, mais ele vai mudar nossas vidas! A mudança em nossas vidas, na vida no “nascido de novo”, deve ser uma realidade. Quando nos convertemos na direção de Cristo, de um relacionamento com Ele, nossa vida sofre uma mudança. Não tem jeito. Não existe conversão sem mudança de vida. Aquilo que idealizávamos ser antes de Cristo entrar na nossa vida é alterado no momento da conversão, pois neste dia, em que entregamos nossas vidas ao senhorio de Jesus, passamos a idealizar um André semelhante a Cristo, o João semelhante a Cristo, a Maria semelhante a Cristo. Existe uma mudança de mente. E esta mudança de perspectiva, nos leva a ter atitudes diferentes. Se esta mudança não é clara em você, com certeza existe algo de errado.

A partir do momento em que começamos a correr a corrida que nos é proposta, que passamos a nos relacionar com Deus, quando o pecado volta a fazer parte da nossa vida, passamos a ter um obstáculo em nosso relacionamento com Deus. O pecado mina nossas vidas, nos traz culpa, nos traz vergonha, nos traz um sentimento amargo. E neste momento de derrota e tristeza, a “nova criatura” percebe que ofendeu a Deus e que a relação com Ele foi afetada. O pecado nos separa Dele, pois Nele não há comunhão com o pecado. Neste momento o que nos resta é se humilhar diante Dele novamente, tomar posse do sangue de Cristo sobre as nossas vidas e receber o perdão pela graça de Deus. O arrependimento é essencial para termos um relacionamento íntimo com Ele.

João vai dizer em 1 João 5:18 que “aquele que é de Deus não peca” e também em 1 João 2:1 que “se alguém pecar existe um Advogado para nos perdoar”. Algo muito claro nos textos de João é que o pecado na vida daqueles que se relacionam com Deus é a exceção e não a regra. Quando o pecado se torna comum em nossa vida, quando o pecado não abala nosso relacionamento com Deus, é provável que este relacionamento já nem exista ou talvez nunca chegou a existir. Quando o pecado chega ao ponto de não nos abalar, é porque chegamos ao ponto da Palavra de Deus não ser, definitivamente, a realidade das nossas vidas.

Algo que tem afetado esta geração é se conformar com a ideia de pecar e achar que está tudo bem, se apropriando da graça de uma maneira completamente equivocada, como uma muleta. Se vivemos achando que mais pecado aqui ou ali, que do jeito que está “da para levar”, pois a graça de Deus me perdoa, tenho uma péssima notícia. Este tipo de mentalidade não é incentivado em nenhum lugar das Escrituras e não é compatível com um cidadão do Reino. Em todos os instantes somos exortados a sermos santos como Ele é, a sermos irrepreensíveis como Ele é, a caminharmos em um caminho que nos leva a ser homens perfeitos, semelhante a Cristo.

Pedro, no final de sua segunda epístola cita as cartas de Paulo (que tratam muito sobre a graça), dizendo que os ignorantes e instáveis torcem as palavras de Paulo e também de toda a Escritura para própria destruição. No versículo 14 do capítulo 3 de 2Pedro, entretanto, é dito: “para serem encontrados em paz, imaculados e inculpáveis”. Paulo diz que onde abundou o pecado superabundou a graça e continua com a pergunta: “continuaremos pecando para que a graça aumente? De maneira nenhuma!”. Hebreus 10:19-31 também nos traz um clara ideia da perspectiva bíblica acerca de como o pecado deve ser encarado pela nova criatura.

1 Pedro 1:16 pois está escrito: “Sejam santos, porque eu sou santo”

André Aneas

[acompanhe esta série de posts sobre Intimidade com Deus]

1/6 – Relacionamentos Humanos [Intimidade com Deus]

2/6 – Deus Deseja um Relacionamento Íntimo com Você! [Intimidade com Deus]

3/6 – Entrega Total [Intimidade com Deus]

Acesse o link original desta pregação:

Intimidade com Deus

Ouça o audio:

Faça o download:

Intimidade com Deus – De Mãos Dadas com o Senhor – (download – clicar com o botão direito e em ‘salvar link como’)