As 7 Cartas do Apocalipse – Laodicéia

Carta para Igreja de Laodicéia

Significado do nome: “Opinião do Povo”

Período: 1827 a ?

Mensagem Profética: Filadélfia Soberba

Repreensão: “Pobre, Cego e Nu”

 

“A voz do povo é a voz de Deus” – Ap 3:14

Os crentes de Laodicéia são os que participaram de Filadélfia, porém se tornaram soberbos e orgulhosos. A palavra Laodicéia significa opinião do povo. Quando lemos nos posts passados acerca da doutrina do Nicolaítas, aprendemos que Deus abomina a distinção entre crentes “chamados” para o ministério e crentes leigos, uma vez que estes “chamados” são uma espécie de mediação para os leigos chegarem ao divino. Entretanto, aqui em Laodicéia ocorre o extremo contrário. É sabido pelas escrituras que o Senhor deu diretrizes claras sobre autoridades na igreja. Porém, em Laodicéia o povo é quem dita as regras, nos remetendo ao equivocado dito popular: “A voz do povo é a voz de Deus”.

 

Mornidão… – Ap 3:15-16

Laodicéia aparenta muita coisa, porém é “coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”, tão morna a ponto de ser vomitada!

“O espírito de soberba de Laodicéia torna-a morna e esse estado provoca o vômito. Isso acontece quando se sente um mal estar interior” – pg. 213. Devemos nos examinar a cada dia, vigiando para que a soberba não entre em nossa vida. Assim como Laodicéia, podemos nos achar excepcionais, mas o que vale é o que o Senhor vê. Creio que a última coisa que nós queremos é criar um mal estar com nosso Senhor.

 

Como Constatar a Soberba? – Ap 3:17

W. Nee escreveu sobre o que falam os crentes em Laodicéia: “Um irmão entre eles certa vez disse: ‘Existe algo espiritual em nós’? Outro irmão, ao ver uma nova revista, disse: ‘Que novidade ela pode nos dar? Há alguma coisa que não temos’? Um outro disse: ‘Uma vez que o Senhor tem nos dado a maior luz, devemos estar satisfeitos; ler o que os outros tem é perda de tempo’. Quando ouvimos aqui este tipo de falar, imediatamente lembramos o que o Senhor diz aqui a respeito daqueles que dizem ‘eu estou rico’. Oh! Quão cuidadosos precisamos ser para que não nos tornemos Laodicéia” (Ortodoxia da Igreja, pgs 90, 91).

Creio que este orgulho e soberba é nítido em diversas denominações, quando por diversas vezes elas dão a entender que são quase ‘donas da teologia’. Todos estão errados, somente elas estão certas. Diga-se de passagem, Pedro e João eram pescadores e não fizeram nenhum curso superior para serem apóstolos. Jesus disse que sinais perseguiriam os que crêem (Marcos 16:17-18). Porém, por que muitas vezes não vemos esses sinais perseguirem estes que se julgam mais sábios e cheios de conhecimento (letra)? Ao invés de gastar tempo falando mal de outras denominações, as igrejas deveriam se preocupar em confrontar os crentes com seus pecados, chamando-os ao arrependimento e principalmente buscar a unção do Espírito Santo, que não é adquirida somente com estudo.

 

A Revelação Espírito Santo – Ap 3:18

“Quantos cristãos vivem da doutrina morta estacada em suas mentes, mas sem nenhuma utilidade para o viver diário. Quantos conhecem intelectualmente a Bíblia, mas nunca manifestaram o tipo de vida que ela anuncia. Quantos crentes vivem daquilo que ouviram dos outros e de passar adiante a informação recebida. Eles raramente recebem algo diretamente do Senhor. A Palavra escrita não se torna Vida para eles. A solução para tal dificuldade é o Colírio do Espírito Santo” – pg. 221

 

Amor e Repreensão – Ap 3:1 9

“Eu repreendo e castigo a todos quanto amo: sê pois zeloso, e arrepende-te”. O Senhor convoca a igreja para disciplina e arrependimento, mas como é difícil pessoas cheias de si reconhecerem o próprio erro. Como é difícil igrejas ou até denominações reconhecerem que está tudo errado. Como é difícil a muitos líderes deixarem as frustrações de lado e perceberem que estão cegos e que a repreensão do Senhor é um ato de amor! Difícil, pois os tempos mudaram… Não há espaço para repreensão e arrependimento nas igrejas contemporâneas e modernas, em que os “intelectuais” se juntam para falar que não são legalistas e que não julgam ninguém. Lembro da passagem de 1 Coríntios 6:2, que diz: “Vocês não sabem que os santos hão de julgar o mundo?”. Nós como igreja, deveríamos ser os primeiros a fazer bons julgamentos, a começar por nós mesmos. Porém, o que acontece quando a igreja deixa de lado a tarefa de julgar? Não há repreensão, pois erroneamente poucos veem amor neste ato.

 

Conclusão

“Aqui concluímos nossa meditação sobre Laodicéia. Ela representa o espírito de soberba que pode se instalar no coração dos que viram Filadélfia, nos mostra a importância de uma fé viva, provada pelo fogo, da conduta que manifesta o caráter de Cristo e da unção do Espírito que nos leva para dentro de toda a verdade” – pg. 225

“Se o nosso desejo é ver o Senhor Jesus entronizado na Igreja, precisamos rejeitar os ensinamentos humanos e buscar a vida de realidade espiritual. O ouro refinado no fogo (fé viva), as vestes brancas (caráter de Cristo) e o colírio (revelação do Espírito) não são concedidos de graça; ele têm um preço para serem adquiridos” – pg. 225

A restauração é possível e o Senhor deixa isto claro. Mas, deve haver arrependimento.

 

 

Deus abençoe sua vida e que Ele nos encha do Seu Santo Espírito!

André Aneas

Anúncios

As 7 Cartas do Apocalipse – Filadélfia

Carta para Igreja de Filadélfia

Significado do nome: “Amor Fraternal“

Período: 1827 a 1847

Mensagem Profética: A Unidade da Igreja

Elogio: “Guardaste a Minha Palavra“ e “Não Negaste o Meu Nome“

Advertência: “Vigia Para Ninguém Tomar a Tua Coroa“

 

Próximo Passo da Restauração

Como já vimos anteriormente, a Reforma aconteceu pois era desejo do Senhor que houvesse uma restauração na igreja. Entretanto, a restauração não foi completa. Somente em Filadélfia o desejo do Senhor foi satisfeito, em uma igreja em que o amor fraternal é uma realidade.

 

O mover do Senhor em Filadélfia

“Em 1825, em Dublin, capital da Irlanda, houve muitos crentes cujo coração foi movido por Deus para amar todos os filhos de Deus, não importando em qual denominação estivessem. Este tipo de amor não foi frustrado pelos muros da denominação. Eles começaram a ver nas Escrituras que a Palavra de Deus diz que há apenas um Corpo de Cristo, não importando em quantas seitas os homens possam dividi-lo. Eles continuam lendo as Escrituras e viram que o sistema de um homem administrando e de um homem pregando não é bíblico. Então eles começaram a reunir-se cada domingo para partir o pão e orar. No ano de 1825, após mais de mil anos de Igreja Católica e várias centenas de anos de igrejas protestantes, aconteceu pela primeira vez um retorno à adoração simples, livre e espiritual conforme as Escrituras” –  Watchman Nee.

 

A Sinagoga de Satanás – Ap 3:9

Da mesma maneira que Esmirna foi a reação do Senhor frente ao relaxamento da igreja de Éfeso, Filadélfia é a reação de Deus frente a situação de morte que existia em Sardes. “Isso indica que a manifestação da vida em Filadélfia provoca a obra contrária de Satanás, por isso os falsos judeus e a sinagoga de Satanás são mencionados novamente” – pg. 193.

 

Perseverança – Ap 3:10

O que é importante ressaltar é que os cristãos desta época pagam um preço alto por serem perseverantes. Ser perseverante é muitas vezes não negar sua fé perante outros, inclusive, que possuem a “mesma” fé. Em Filadélfia era o caso dos falsos judeus. Hoje em dia, podemos ver na igreja pessoas que embora professem a mesma fé, se apegam mais ou menos a princípios cristãos. Este ponto pode ser facilmente notado quando analisamos a vida do crente em relação a sua comunhão com o mundo. O deixar de se moldar aos padrões do mundo acaba sendo motivo de prova dentro da própria igreja, pois cristãos, ou ‘tristãos’, que vivem uma vida dupla, passam a ser agentes de discriminação dos filhos do Senhor que buscam a boa, perfeita e agradável vontade do Pai.

Igrejas contemporâneas, muitas vezes por culpa de líderes intelectuais e ‘moderninhos’, que eu os classificaria como comunistas góspeis, acabam se mundanizando devido a tolerância a práticas impróprias, gerando liberalismo. Tudo para ser diferente daquela igreja “clássica”, a qual é claramente contra o pecado e o que pode levar a ele. Creio que este é o maior erro que existe na igreja moderna. Satanás se aproveita muitos destas brechas que são abertas no corpo, evitando que os crentes destes dias alcancem a plenitude que há em Cristo.

Na parte b do versículo, o Senhor faz menção a grande tribulação e promete que guardará os seus desta provação que há de vir sobre a terra. Amados, buscar uma vida coerente diante do Senhor e ser um verdadeiro cristão tem implicação direta com o arrebatamento. Não podemos nos iludir achando que pelo fato de se fazer uma simples oração dizendo que ‘aceitamos Jesus’ estamos dentro da igreja que será arrebatada, isto não é bíblico. A palavra nos diz que “quem perseverar até o fim será salvo”. O Senhor veio a esta terra para nos dar vida, e vida em abundância. Não uma vida cristã medíocre, “light” e frustrada. Busquemos Nele e Ele sempre será fiel para completar a boa obra que começou em nossas vidas.

 

Guarda o que tens… – Ap 3:11

“Filadélfia vai continuar juntamente com Tiatira (catolicismo), Sardes (protestantismo) e Laodicéia (caídos de Filadélfia) até a volta do senhor, como indicam as palavras “venho sem demora”. Em Esmirna a necessidade era ser fiel até à morte para ganhar a coroa da vida. Em Filadélfia os cristãos precisavam guardar o que já tinham, para não perder a coroa” – pg.199

 

Conclusão

Embora nesta carta não exista nenhuma critica ou ameaça do Senhor, podemos aprender quatro pontos fundamentais para nossa vida:

1oGuardar a palavra do Senhor

2oNão negar o Seu nome

3o – Guardar a palavra de perseverança do Senhor

4oConservar o que temos

 

A volta de Jesus se aproxima e cada dia mais existe a necessidade do corpo se proteger, no sentido de ser zeloso e santo (separado). Creio que guardando a palavra do Senhor (alimento diário), não negaremos Seu nome em nenhuma situação e seremos perseverantes, sabendo que o que possuímos é um tesouro. Quem possui este tesouro o conserva.

 

Que o Senhor nos guarde e que sejamos imitadores de Cristo, para que outros possam nos imitar.

 

Em Cristo,

André Aneas

 

As 7 Cartas do Apocalipse – Tiatira

Carta para Igreja de Tiatira

Significado do nome: “Incenso Contínuo“

Período: 590 a 1517

Mensagem Profética: Sistema Católico Romano

Repreensão: A Profetiza Jezabel e As Coisas Profundas de Satanás

 

As quatro últimas igrejas

“As 7 igrejas são divididas em 3 e 4. 3 simbolizando a Trindade e 4 simbolizando a Criação. Ele encontrará na terra os quatro últimos estágios da igreja vivendo paralelamente” – p. 139.

Nas três primeiras igrejas que tratamos até aqui, o Espírito Santo sempre inclui o convite para ouvir o que o Espírito diz às igrejas antes da promessa aos vencedores. Segundo Délcio Meirelles (autor de Cristo Entronizado), até a terceira igreja (antes de 590) havia possibilidade de restauração para toda igreja. Daqui em diante, as 4 igrejas, ou melhor, os períodos profeticamente representados, terão no final das cartas primeiro a promessa aos vencedores e em seguida o convite para ouvir o Espírito, indicando que não há possibilidade para uma restauração total da igreja e que de fato a situação das três primeiras igrejas (Trindade) foi alterada.

 

Incenso contínuo

Watchman Nee entende que o significado para o nome Tiatira é “Incenso Contínuo”. A igreja de Tiatira representa o Catolicismo Romano. Pember entende que a cerimônia principal no Catolicismo é a missa, em que a hóstia é transformada no verdadeiro corpo e sangue de Cristo. Ou seja, Cristo seria sacrificado várias vezes e não somente uma. “A Palavra de Deus declara que o sacrifício de Cristo na cruz foi uma vez e para sempre” – p. 140. Com este contínuo sacrifício, se pode entender melhor o porquê de Tiatira (incenso contínuo).

 

Jesus, o Filho de Deus – Ap 2:18

O fato de Jesus se apresentar como “o Filho de Deus” indica uma repreensão ao desprezo que a igreja católica lhe dedica, colocando Maria acima do Filho. “Ela não é ‘filha de Deus’ como Jesus é; ela não pode ser ‘a mãe de Deus’ porque quando Jesus nasceu ela já existia neste mundo como uma mulher comum” – p. 141. Neste mesmo versículo Jesus também se apresenta tendo olhos de fogo e pés semelhante a latão reluzente, indicando que Ele sabe em profundidade o que Tiatira tem de errado e que irá julgar as práticas da igreja. “O bronze (ou latão) na Bíblia representa julgamento” – 142.

 

“Conheço as tuas obras”- Ap 2:19

“O Senhor reconhece que há realidade na Igreja Católica Romana. Madame Guyon, (John) Teuler e Fenelon estavam todos na Igreja Católica Romana e podemos mencionar ainda muitos dos melhores nomes. Na verdade há muitos na Igreja Católica Romana que conhecem o Senhor. Nunca pense que não há nenhum salvo na Igreja Católica Romana. O Senhor ainda tem seu povo ali; disso devemos estar bem certos diante do Senhor” (W. Nee, Ortodoxia da Igraja, pg 48) – p. 143 do livro de Délcio Meirelles.

 

Jezabel de Tiatira – Ap. 2:20

Da mesma maneira que nos tempo de Elias, neste período existe também uma mulher que atua da mesma forma maléfica em Tiatira. Jezabel se dizia ser quem não era e ensinava “os servos do Senhor a se prostituírem e a comerem coisa sacrificadas aos ídolos”(Ap 2:20). Todos os problemas causados por ela no Velho Testamento são aplicáveis aqui. Além disso, as seduções são iguais as de Balaão, encontradas na igreja de Pérgamo (declínio da igreja). Neste período os crentes de Tiatira viviam cercados de práticas pagãs, como idolatria e imoralidade, e era isso que Jezabel disseminava no meio da igreja.

 

O que é muito importante nos atentarmos no texto é que ao repreender a igreja Jesus diz que tem contra Tiatira o fato dela tolerar Jezabel. O Senhor nos diz claramente que a postura esperada da igreja era de intolerância às práticas que estavam acontecendo ali. A intolerância ao pecado deve ser uma realidade na igreja hoje! Ao continuar a leitura vemos consequências graves para este tipos de pecado. A santidade de fato é um assunto que a igreja contemporânea não gosta de tocar. Mas servimos a Deus (que fala deste assunto claramente) ou a homens (que gostam de massagear o ego dos crentes)? O que escandaliza na igreja não deve ser o barulho, as manifestações do Espírito Santo ou o irmão do lado que da “glória a Deus” alto, mas sim pecado escondido e tolerado.

 

“Aos demais…” – Ap 2:24

Aqui o Senhor passa a falar com o remanescente que não se contaminaram com a doutrina de Jezabel. Creio que existe um espírito maligno que atua com as características de Jezabel. É plenamente possível ler a carta e existirem crentes que se encontram tanto entre os “demais” como entre os que estão “aprendendo” e  praticando o que Jezabel ensina.

No final do versículo, o Senhor incentiva os “demais” a se manterem firmes naquilo que eles tem, até que Ele venha. Vale ressaltar que as últimas quatro cartas são para igrejas que permanecerão até a volta do Senhor. Dai o motivo do “até que eu venha” no final do versículo 25.

 

Conclusão

Irmãos, a tolerância as práticas pecaminosas, incentivadas claramente por Satanás através de Jezabel, levou a igreja a cometer um de seus maiores erros. A Igreja Católica Romana existe até hoje e a mistura do que é sagrado com o que é pagão permanece, quem não é autoridade acaba sendo (como Jezabel, que mandava e desmandava em Acabe) e o que é errado não é mais tão grave assim, passando a ser tolerado. Infelizmente esta realidade se estendeu a muitas igrejas que não respondem à Roma oficialmente.

Concluo este post deixando claro a todos que não podemos nos enganar: devemos sim ser radicais! Ser crente em Cristo é ser radicalmente contra aquilo que não faz parte do Reino de Deus. É Reino de Deus e não nosso! Ou servimos a Deus ou a nós mesmo. Você goste ou não (e serve para mim também), é ser 8 ou 80. Não fique em cima do muro, pois o muro é do diabo.

Sejamos “Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância” – I Pe 1:14.

 

Deus abençoe sua vida em nome de Jesus!

 

André Aneas

As 7 Cartas do Apocalipse – Pérgamo

Carta para Igreja de Pérgamo

Significado do nome: “Eis o Casamento”

Período: 313 a 590

Mensagem Profética: A União da Igreja e o Estado

Repreensão: A Doutrina de Balaão e dos Nicolaítas

 

“Torre” e o Casamento

Pérgamo representa profeticamente os cristãos no período de 313 a 590. Além de significar “Eis o Casamento”, pérgamo pode vir de purgos, que significa “Torre”. Alguns autores entendem que este significado aponta para construção tipo templos, que começam a aparecer no período de Constantino. Antes deste período, os cristãos não podiam se reunir neste tipo de lugar, pois com certeza seriam facilmente localizados e mortos. “Tudo indica que Constantino não experimentou realmente o novo nascimento. A tendência então seria imitar os sistemas pagãos com seus templos, sacerdotes e rituais. Particularmente creio que outro significado é mais apropriado para esse estágio profético da igreja: Pérgamo, o casamento da igreja com o estado”- p. 128.

 

Mudança de tática de Satanás – Ap 2.12

“O historiador Gibbon disse que se matassem todos os cristãos de Roma, a cidade tornar-se-ia desabitada” – W. Nee. Ao invés de continuar a matar os cristãos, o inimigo passou a se infiltrar no meio deles, se misturando. Roma, através do imperador Constantino, aceitou o cristianismo como religião oficial. “O resultado da igreja unida com o mundo é o que conhecemos como “cristandade” – p.129. “Cristandade” não tem nada a ver com igreja. Na “cristandade” existem milhares de pessoas que nunca foram regeneradas.

 

Alguma coincidência com a igreja atual? Infelizmente sim. Hoje em dia chega a ser complicado se “escandalizar” com qualquer coisa, de tanto que o mundo está misturado com a igreja. Sem dúvida esta não é a vontade do Senhor. Após entender o que estava ocorrendo neste período, quando olhamos para o versículo 12, veremos que o Senhor é Aquele que vem com uma espada para separar Sua igreja do sistema mundano de Satanás.

 

Remanescentes – Ap. 2.13

Pérgamo foi o uma cidade considerada o centro do paganismo e nesta época ainda possui muitas de suas raízes. Falar do Senhor em um local como este não era tarefa fácil, ainda mais com toda a mistura que estava ocorrendo na igreja do Senhor. No do versículo 13b, o Senhor fala de Antípas, que tem um nome cujo significado é contra (anti) tudo (pas). Contra tudo porque o erro estava generalizado! A situação de fato era séria e poderia ficar pior.

 

Doutrina de Balaão – Ap 2:14

Números 22 a 25, fala como Balaão usou de estratégias maléficas para levar o povo de Israel a pecar contra o Senhor. Nestas práticas estavam incluso culto idólatra com seduções físicas, convite a imoralidade e tudo o que o Senhor condena. “A igreja foi tentada a aceitar o poder mundano no lugar do poder de Deus. Os filhos do maligno (Mt 13:38) foram semeados no meio dos filhos do reino durante os tempos difíceis, quando não há tempo suficiente para se suspeitar da hipocrisia. Numa situação dessas os Nicolaítas encontrariam um terreno fértil para o seu crescimento” – p. 132.

 

Ressalto aqui a importância de entendermos como tudo isto que ocorrera fora feito de maneira progressiva. A coisa foi piorando. Devemos entender, que o mal deve sempre ser cortado pela raiz, não o deixando se alastrar. Discipulado, discernimento e principalmente a orientação do Espírito devem ser prioridade máxima na igreja do Senhor.

 

Doutrina dos Nicolaítas – Ap 2:15

Após a igreja de Éfeso ser elogiada pelo Senhor quanto ao ódio pelas obras dos Nicolaítas, em Pérgamo se percebe que estas mesmas “obras se tornaram uma doutrina ensinada e diluída”, como diz o autor do livro na página 132. Neste período a ideia de somente alguns serem chamados por Deus e os demais trabalharem secularmente começou a surgir com maior vigor. É a partir daqui que a igreja se organiza como uma comunidade terrena ou como qualquer empresa dos dias de hoje, que é governada por homens, passando a dependem do poder “intelectual, de nível social e financeiro” – p. 133.

 

Abro aqui um parênteses para deixar algo muito claro que se percebe nas escrituras: Deus é teocrata! A democracia não faz parte de nenhum ensino bíblico e tem suas origens na Grécia Antiga.

 

Chamada ao Arrependimento – Ap 2:16

Novamente o Senhor dá uma oportunidade ao arrependimento. “Ele é tardio ao se irar-Se, mas se não houver mudança, a Espada de dois gumes será aplicada” – p. 133.

 

Promessa aos vencedores – Ap 2:17

O Maná Escondido provavelmente faz referência ao maná incorruptível que foi colocado dentro do pote e depositado dentro da Arca da Aliança, conforme registrado em Êxodo 16:33-34. “Ele representa, talvez, o sustento do corpo ressurreto, guardado e reservado para aqueles que, durante a peregrinação aqui se abstiveram das coisas sacrificadas aos ídolos e recusaram mudar os caminhos de Deus com o fim de agradar o mundo e obter coisas boas”- G. H. Pember.

 

Conclusão

“Precisamos rejeitar tudo (Anti+Pas) que seja contrário a Cristo, como a doutrina de Balaão e a dos Nicolaítas: idolatria e prostituição (Balaão) e separação dos crentes em clérigos e leigos (Nicolaítas)” – p. 136. Os crentes devem seguir o exemplo de Antipas (v. 13b), por mais que as consequência sejam difíceis. Isto hoje poderá resultar em perseguição dentro da igreja, mas não tenho dúvidas que os frutos de sermos cristãos genuínos aparecerão e contagiarão outros irmãos. Vale a pena viver pela Palavra de Deus e vale a pena morrer por ela!

 

Oro para que a igreja desperte e perceba o perigo que a tolerância as práticas contrárias a Deus causam no corpo. No próximo post veremos consequências desta tolerância e quanto o corpo de Cristo foi afetado e sofre as consequência até hoje em dia. Creio que temos um Deus que está no controle. Creio também que como crentes em Cristo devemos sempre nos posicionar, independente das consequências desta posição.

 

 

Deus nos abençoe,

André Aneas

As 7 Cartas do Apocalipse – Éfeso

Carta para Igreja de Éfeso

 

Significado do nome: “Relaxamento”

Período: Final do primeiro século

Mensagem Profética: Condição espiritual da Igreja no final do primeiro século

Repreensão: Perda do Primeiro Amor

 

Sete Estrelas e Sete Castiçais (Ap 2:1)

“Escreve ao anjo da igreja que está em Éfeso: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro” – Ap 2:1.

Um ponto bastantes discutido, se refere ao significados dos sete castiçais e das sete estrelas. No capítulo 1 versículo 20, o Senhor revela o mistério:

O mistério das sete estrelas, que viste na minha destra, e dos sete castiçais de ouro. As sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais, que viste, são as sete igrejas.

A interpretação mais comum diz que os Anjos são os líderes das igrejas locais. Porém, como ir além daquilo que o Senhor mesmo explicou? Se o Senhor explicou o mistério dizendo que os candeeiros são igrejas e as estrelas são anjos, faço as palavras do autor do livro as minhas: “Não podemos dar outro significado ao termo ‘igreja’. E quanto o termo ‘anjo’? O Senhor disse que as Sete Estrelas são os Anjos das Sete Igrejas. Diante disso, não temos permissão para dar outra explicação para eles”.

 

“Conheço…” (Ap 2:2a)

No começo da carta, o Senhor diz “Conheço as tuas obras…”. O que se aprende deste versículo é a profundidade do saber de Deus. Ele não vê apenas o exterior. O Senhor conhece as intenções, a motivação e o alvo final. Mesmo a igreja de Éfeso possuindo coisas positivas, não passou no teste do Senhor. Hoje podemos ter uma igreja cheia de eventos, e de pessoas, porém, o Senhor vai além disso e sabe avaliar a saúde do Corpo Dele. Délcio diz: “Tudo pode estar no lugar certo, mas sem vida. Um cemitério está sempre limpo e repleto de flores, porém é lugar para mortos. Um hospital deve ser um exemplo de higiene, mas é um lugar para doentes.” – p. 93.

 

Má Conduta Repreendida (Ap 2:2a)

Em meio aos elogios iniciais, o Senhor coloca “Sei que você não pode tolerar homens maus”, esse versículo está ressaltando uma característica que tem sido esquecida na igreja “contemporânea”: a intolerância àquilo que Deus abomina e que afeta o Corpo de Cristo (escandalizando os de dentro e os de fora). “Os irmãos que não andavam de maneira digna do Evangelho eram disciplinados e qualquer  manifestação carnal era levada a sério” – p. 96. Igreja é igreja. E os que são de dentro, devem buscar esta qualidade colocada pelo Senhor. Este cuidado é de suma importância no que diz respeito a saúde do corpo. O que seria da igreja se toda ela partisse do pressuposto de que existe para os de fora? Não seria estranho este elogio da parte do Senhor? Se fosse para os de fora, a não tolerância a homens maus deveria ser motivo de repreensão do Senhor e não um elogio.

 

Apóstolos (Ap 2:2b)

Para minha surpresa, o autor do livro tocou em um ponto contundente nos dias de hoje. Tirando de lado toda banalização que infelizmente existe e analisando o que a palavra de Deus diz, fica claro que existem apóstolos além dos doze. Citarei apenas um argumento, pois abordarei este assunto em outro post. O apóstolo João escreveu o livro das Revelações por volta de 95 d.C. e nesta ocasião só restava ele dos doze. Desta maneira, qual seria a necessidade em se identificar os falsos apóstolos, se neste momento só existia um (João)? Se existissem somente doze, a igreja de Éfeso colocava falsos apóstolos a prova a toa. Afinal, seria óbvio que não haveria mais nenhum.

Para mais detalhes sobre este assunto o autor Délcio Meireles sugere a leitura do livro “A Vida Normal da Igreja Cristã”, do W. Nee.

 

Abandono ao Primeiro Amor (Ap 2:4)

Quando Paulo escreve sua epístola aos Efésios, fica evidente a fé, santidade e conhecimento que possuíam do Senhor Jesus. Porém, nesta carta do livro das Revelações, escrita cerca de 30 anos mais tarde, já se pode notar uma decadência. “O primeiro século estava terminando e uma nova geração de cristãos surgia, a qual mostrava certa dose de devoção a Cristo, talvez mais por tradição do que por experiência pessoal” – p.88.

 

Nicolaítas (Ap 2:6)

“Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio” – Ap 2.6. O termo Nicolaítas é formado de duas palavras gregas: nikau (dominar) e laos (povo). Este nome é simbólico e não há nenhum registro de nenhuma seita com este nome. Mesmo assim, o peso destes “nicolaítas” é bem maior do que se possa imaginar. “Nicolaítas refere-se a um grupo de pessoas comuns que se auto avaliam muito acima dos crentes comuns” – W. Nee, Ortodoxia da Igreja, pg 19. No decorrer do estudo das cartas veremos o impacto deste grupo ao longo dos anos da história da igreja.

 

Vencedores (Ap 2:7)

“quem tem ouvido ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor…”. Note que nas 3 primeiras cartas a chamada para ouvir o Espírito vem primeiro e em seguida vem a promessa aos vencedores. Nas últimas 4 cartas a ordem é invertida. “Visto que as igrejas representam sete períodos distintos da sua história, temos uma indicação de que até o ano 600 d.C. havia uma possibilidade de toda a igreja ouvir a chamada do Espírito, mas depois disso não.” – p. 108.

Fato é que se há vencedores existem também os não vencedores. G. H. Lang disse: “Se todos os cristãos são vencedores, como será possível no fim desta era que ‘o amor de muitos (da maioria) esfriará’ (Mt 24.12)?”.

 

Conclusão

“O termo primeiro em grego é proten e não se refere apenas a primazia na questão de tempo, mas principalmente de natureza. A palavra ‘melhor’ usada no vestido do Filho Pródigo em Lucas 15 também é proten. Não era o ‘primeiro’ vestido, mas o ‘melhor’ vestido. O mesmo acontece com o cristão em buscar o reino de Deus em ‘primeiro’ lugar (Mt 6.33). Não se trata apenas de colocar as coisas de Deus em primeiro lugar no sentido de realizar coisas, porque isto a igreja de Éfeso fez. Um filho de Deus pode dedicar sua vida na realização de obras para o Senhor e mesmo assim cometer o erro da igreja de Éfeso. Nosso Senhor não busca quantidade, mas principalmente qualidade.” – p.98.

Creio que este trecho do livro conclui a principal mensagem desta carta.

 

Deus nos abençoe,

André Aneas